Grupo português dono da Toys “R” Us Ibéria cresce na Europa

A Green Swan adquiriu a Maxi Toys, retalhista com lojas na Bélgica, França, Luxemburgo e Suíça. A empresa portuguesa torna-se um dos principais ‘players’ europeus no setor dos brinquedos.

A Maxi Toys, retalhista de brinquedos com lojas na Bélgica, França, Luxemburgo e Suíça, está a ser adquirida por um novo acionista, a Green Swan, que adquiriu a Toys “R” Us Espanha e Portugal no ano passado.

Simultaneamente com esta aquisição, a empresa torna-se um dos principais players europeus, com planos de expandir ainda mais a marca Maxi Toys, continuando com a abordagem multicanal e adicionando inovação e experiência personalizada em loja.

Paulo Andrez, CEO da Green Swan considera que está “a conseguir revolucionar” o mercado de brinquedos. “Uma revolução que mostra que as lojas de brinquedos são muito mais do que apenas produtos e uma indústria para famílias e pessoas de todas as idades. Com a Maxi Toys, vemos um grande potencial para oferecer ao cliente, permitindo-lhe uma experiência pessoal ainda melhor, na loja, on-line e em combinações dos dois, adicionando Inovação, que é o driver da Green Swan”, acrescenta.

Já Alain Hellebaut, CEO da Maxi Toys, revela que a “aquisição permitirá à Maxi Toys avançar ainda mais no caminho de crescimento multicanal no campo do marketing, gestão e experiência ao cliente. Dentro do novo grupo, a Maxi Toys terá a oportunidade de ser ainda mais desenvolvida enquanto marca internacional”.

A transação está sujeita às necessárias aprovações e processos legais nos mercados. Com a aquisição da Maxi Toys, as operações da Green Swan alcançam seis mercados europeus e um total de 230 lojas. Não foi dado nenhum detalhe financeiro sobre a operação.

Recomendadas

Navigator nomeia dois novos administradores executivos

João Paulo Cabete Lé e Adriano Agusto Silveira são os novos administradores executivos no mandato do quadriénio em curso, com efeitos a 1 de Janeiro de 2020.

Jorge Calvete é o administrador judicial da Orey Antunes que pediu um PER

O prazo para a reclamação de créditos, começa a correr a partir da data da publicação do anúncio no Portal Citius, ou seja, 10 de dezembro de 2019. Os prazos são contínuos, não se suspendendo durante as férias judiciais.

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.
Comentários