Grupo Sousa | expectativas e desafios em 2020

É, pois, com expetativa e forte determinação que o Grupo Sousa encara o ano de 2020, o qual corresponderá ao reforço das operações com foco no cliente, a par do desafio permanente que enfrentamos, de assegurar a sustentabilidade ambiental, económica e social das nossas atividades nos mercados nacional e, sobretudo, internacional, onde competimos com os maiores players mundiais.

O Grupo Sousa tem vindo a crescer no mercado nacional e internacional de forma sustentada nos últimos 10 anos, sendo disso exemplo o facto de termos triplicado o volume de negócios, hoje superior a 153 milhões de euros, e, embora com sede no Funchal, 70% da nossa faturação é hoje externa à Região Autónoma da Madeira, fruto das operações que realizamos nos Açores, Portugal continental, Espanha, Cabo Verde e Guiné-Bissau.

Cabe também referir que o Grupo Sousa é hoje o maior e único armador português a constar na lista dos 100 maiores armadores do mundo da Alphaliner, opera 9 navios (sendo 5 navios próprios) em 4 países e conta com um número crescente de 823 colaboradores.

Principais iniciativas em preparação para 2020:

(1)  Edificação do Terminal Logístico da LOGISLINK na ilha de São Miguel (8.500m2 de área coberta da qual 1.600m2 de frio, e 30.000m2 de terreno), em tudo semelhante ao Terminal Logístico da Madeira construído em 2011.

(2)  Entrada em funcionamento do novo edifício de serviços do Grupo Sousa, junto ao Terminal de Cruzeiros (800 m2 de área).

(3)  Início da operação de rebocadores nos portos de Lisboa, Setúbal e Sines.

(4)  Os nossos navios passarão a utilizar combustível com baixo teor de enxofre, em linha com a Convenção internacional MARPOL da IMO (International Maritime Organization).

(5)  Entrada em pleno funcionamento do SAP em todas as Unidades de Negócio, abrangendo os Transportes Marítimos, as Operações Portuárias, a Logística, a Energia e o Turismo.

É, pois, com expetativa e forte determinação que o Grupo Sousa encara o ano de 2020, o qual corresponderá ao reforço das operações com foco no cliente, a par do desafio permanente que enfrentamos, de assegurar a sustentabilidade ambiental, económica e social das nossas atividades nos mercados nacional e, sobretudo, internacional, onde competimos com os maiores players mundiais.

Recomendadas

Barraca no presépio

Quanto à Cultura, a confusão do costume. A paródia ou a magia dos números, com falhas claras na matemática.

Uma escola para alunos do século XXI: o exemplo do Conservatório de Artes da Madeira

É uma escola que educa futuros profissionais talentosos e bem-sucedidos, mas também pessoas com valores e cidadãos participativos.

Da minha alegre casinha

Em Portugal, sobre um imóvel, já podiam recair diversas formas de rentabilização, se pensarmos do lado do proprietário, que o podia arrendar, ou explorar sob o regime de alojamento local, ou de fruição, por parte daquele que o arrenda de uma forma duradoura, ou procura alojamento de uma forma temporária e/ou esporádica.
Comentários