PremiumGrupo Mota-Engil tem em ‘pipeline’ contratos de quatro mil milhões de euros

Mais uma vez, o concurso de maior dimensão financeira pode vir da Nigéria, para a construção de uma ponte na capital, no valor de 1,9 mil milhões de euros.

O Jornal Económico apurou que a Mota-Engil tem neste momento em pipeline contratos de cerca de quatro mil milhões de euros, mais precisamente 3.762,3 milhões de euros, apenas em obras de grande dimensão. Também a diversidade geográfica é regra, com boas perspetivas de ganhar novas adjudicações, não só em Portugal, mas em África e na América Central.

No mercado interno, a construtora liderada por António Mota e Gonçalo Moura Martins está prestes a assinar o contrato de 133 milhões de euros para a rede de distribuição de águas em Lisboa. A construtora está também muito bem posicionada, tendo-se classificado nas short lists dos concursos para a construção do Hospital Lisboa Oriental, no montante previsto de 334 milhões de euros, e da obra ferroviária do Corredor Internacional Sul, quarto troço, entre Évora e Elvas, no valor de 86 milhões de euros.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Relacionadas

PremiumCarteira da Mota-Engil dispara para sete a oito mil milhões de euros

Nos últimos doze meses, a construtora nacional garantiu grandes contratos no valor conjunto de quase quatro mil milhões. Já este mês, a cereja no topo do bolo veio da Nigéria, no montante de 1.500 milhões.
Recomendadas

Sector da construção manteve evolução positiva em Portugal até ao final de abril

A associação AICCOPN apurou um aumento do consumo de cimento no mercado nacional no primeiro trimestre do ano de 10,8%, em termos homólogos, em resultado de um mês de março claramente positivo, com o consumo desta matéria-prima a atingir 385,5 milhares de toneladas, o que corresponde a um máximo mensal dos últimos dez anos.

Custos da construção em habitação nova aumentaram 5,1% em março

Este valor representa um crescimento de 2,8% face ao verificado no mês anterior. Por sua vez, o custo da mão de obra subiu 7,6%, mais 1,7% em comparação com fevereiro.

Consumo de cimento em Portugal manteve-se igual até ao final de fevereiro

Segundo a associação da empresas nacionais de construção e obras públicas, o novo crédito concedido pelas instituições financeiras para aquisição de habitação totaliza 1.967 milhões de euros, até fevereiro de 2021, montante que traduz um crescimento de 3,7%, face a igual período de 2020.
Comentários