‘Guia Michelin das casas’ chega a Lisboa

O ‘The Plum Guide’ é uma plataforma de reservas a curto-prazo, que congrega e apresenta as melhores casas de férias do mundo, escolhendo apenas o top 1% das propriedades disponíveis em cada cidade.

O ‘The Plum Guide’, a plataforma de reservas de curto-prazo que congrega e apresenta as melhores casas de férias do mundo, escolhendo apenas o top 1% das propriedades disponíveis em cada cidade, chegou a Lisboa. Segundo um comunicado da empresa, a plataforma é lançada oficialmente esta segunda-feira em seis novas cidades hoje, onde além da capital portuguesa, se incluem Barcelona, Berlim, Copenhaga, Madrid e Telavive.

Designada como o “Guia Michelin das Casas”, esta plataforma diferencia-se das mass-market de reserva e aluguer de curto-prazo por selecionar apenas o top 1% das propriedades disponíveis em cada cidade. Fundada em Londres em 2015, esta plataforma de reservas exclusiva registou um crescimento três vezes superior às receitas face ao ano anterior em três anos consecutivos.

Lisboa junta-se assim ao restrito grupo de cidades como Londres, Los Angeles, Milão, Nova Iorque, Paris e Roma que constam neste guia. A ‘The Plum Guide’ empresa assegurou recentemente 15,5 milhões de euros em financiamento das Talis Capital, Latitude, Hearst Ventures e Octopus Ventures.

Esta plataforma procura capitalizar a popularidade do hub turístico português, ao mesmo tempo que respeita a regulamentação local. Lisboa atrai atualmente 10,8 milhões de dormidas anualmente, o equivalente a um aumento de 60% em seis anos.

“A maioria das plataformas de aluguer está a tentar atrair o máximo de pessoas possível para os seus websites. Nós dirigimo-nos claramente a um grupo altamente diferenciado de profissionais afluentes que vivem em megacidades globais, adoram viajar e valorizam design, qualidade e localização de excelência”, afirma Doron Meyassed, fundador e CEO do The Plum Guide.

Recomendadas

Aquisição de imóveis por não-residentes chegaram aos 13,3% do valor total transacionado

O Algarve ultrapassou Lisboa como a região que mais atraiu o investimento imobiliário por não-residentes, na maioria deles franceses e britânicos.

Preços das casas desaceleram para 7,8% no segundo trimestre

Este valor equivale a menos 2,5 pontos percentuais (p.p) do que o verificado no trimestre anterior. Por outro lado, o valor das transações diminuiu 15,2% quando comparado com o trimestre anterior.

Taxa de juro no crédito à habitação cresceu 0,9% em agosto

Este aumento é superior em 1,7 pontos base (p.b.) ao registado no mês anterior. Já a prestação média manteve-se em 226 euros, enquanto o capital médio em dívida teve um crescimento de 114 euros, fixando-se agora nos 54.317 euros.
Comentários