Há 7 milhões de euros para projetos de Capacitação para o Investimento Social. Saiba quem pode concorrer

Podem ser financiadas ações de capacitação que incluem: serviços de formação, consultoria e mentoria-formativa, em áreas como a Avaliação de Impacto, a Estratégia, a Gestão Financeira ou o Marketing e Angariação de Fundos.

O segundo concurso no âmbito do financiamento “Capacitação para o Investimento Social”, da iniciativa pública Portugal Inovação Social, através do qual as entidades que desenvolvem iniciativas de inovação e empreendedorismo social podem obter financiamento para reforçar competências de gestão e comunicação, arranca hoje, dia 4 de setembro.

Com candidaturas abertas até dia 4 de dezembro de 2018, este concurso disponibiliza 7 milhões de euros através do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE) do Portugal 2020.

Podem candidatar-se os projetos já em funcionamento à data da candidatura, incluindo aqueles que tenham um piloto ou prova de conceito realizados, e que sejam desenvolvidos por entidades da economia social nomeadamente: Associações, Fundações, IPSSs, Mutualidades e Misericórdias. A implementação dos planos de capacitação deve ser localizada nas regiões Norte, Centro e Alentejo.

Recorde-se que o instrumento Capacitação para o Investimento Social tem como principal objetivo apoiar a primeira fase do ciclo de vida dos projetos de inovação social, financiando o desenvolvimento de competências críticas para a sua implementação, com vista a gerar maior impacto social e a captar investimento de forma mais eficiente.

Segundo a Portugal Inovação Social, até 2020, este instrumento deverá atribuir um total de 15 milhões de euros. Na primeira fase de candidaturas, que decorreu entre março e junho de 2017, foram apresentadas 168 candidaturas, das quais foram aprovadas 99, representando um investimento total de 3,5 milhões de euros, com a seguinte distribuição: 49 na Região Norte (1,7 milhões de euros); 41 na Região Centro (1,5 milhões de euros) e 9 na Região Alentejo (0,35 milhões de euros).

O apoio é efetuado através da atribuição direta à entidade beneficiária de um montante fixo não reembolsável até um valor máximo de 50 mil euros. O apoio financiará a implementação de um plano de capacitação, a desenvolver durante um período máximo de 18 meses e que poderá incluir até 5 intervenções de capacitação distintas.

Ler mais

Recomendadas

PremiumOrçamento de longo prazo da União Europeia continua num impasse

Líderes europeus discutem em Bruxelas a dotação de verbas do próximo quadro plurianual, mas ‘Amigos da Coesão’ e ‘contribuintes líquidos’ só concordam em discordar da proposta apresentada por Charles Michel.

Covid-19: Economia da China poderá retomar normalidade no segundo trimestre, diz diretora do FMI

Segundo a diretora-geral do FMI, em janeiro foi projetado “um crescimento global de 2,9%, no ano passado, para 3,3% neste ano. Desde então, o Covid-19 – uma emergência de saúde global – interrompeu as atividades [económicas] na China”.

ISV: Fisco ‘perde’ recurso por ausência de respostas ao Constitucional

Na origem deste recurso esteve um processo, que correu no Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD), movido por um contribuinte que reclamava da forma como foi aplicado o Imposto Sobre Veículos (ISV) num carro usado importado de outro país da União Europeia.
Comentários