Há cada vez mais e melhores startups na Madeira, frisa secretário regional de Economia

Rui Barreto garantiu que está a fazer um levantamento dos projetos que existiram nos últimos tempos , de forma a perceber de facto aqueles em que se conseguiu avançar e aqueles que não correram tão bem, salientando que esta é uma área a acarinhar e a estimular.

Em entrevista ao Económico Madeira, o Secretário Regional de Economia, Rui Barreto, afirmou que há cada vez mais e melhores startups na Madeira, realçando que há muitas verbas da União Europeia para a ciência, investigação e tecnologia.

“Há uma necessidade de cada vez mais envolver a satrtup com a academia e com as empresas, de desenvolverem projetos conjuntos que possam introduzir valor nas organizações”, referiu, acrescentando que é desejável haver uma maior conetividade e ligação entre as várias entidades, como a ARDITI (Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação) e o M-ITI (Madeira Interactive Technologies Institute) para que as empresas possam crescer.

“É uma área onde eu quero estar, quero apoiar, quero acompanhar e obviamente afinar aquilo que estiver eventualmente menos bem”, sublinhou o Secretário.

Rui Barreto garantiu que está a fazer um levantamento dos projetos que existiram nos últimos tempos , de forma a perceber de facto aqueles em que se conseguiu avançar e aqueles que não correram tão bem, salientando que esta é uma área a acarinhar e a estimular.

Leia aqui toda a entrevista a Rui Barreto na saiu na edição impressa do mês de novembro do Económico Madeira.

Recomendadas

Coronavírus: saiba quais são as atividades essenciais na Madeira

Entre as atividades consideradas essenciais estão: atividades de distribuição de energia elétrica e de produtos petrolíferos; serviços de produção e distribuição de água.

Coronavírus: Madeira chega aos 40 casos positivos

Já foram identificados 214 casos suspeitos. Existem 792 pessoas em vigilância ativa.

Madeira recua na decisão de encerramento dos estabelecimentos de venda de jornais e revistas

Fica proibida a permanência de clientes no interior destes estabelecimentos, devendo os produtos ser colocados à disposição do público à porta ou ao postigo, evitando aglomerados de pessoas, devendo, designadamente ser controladas as distâncias de segurança, de pelo menos dois metros, a fim de evitar possíveis contágios.
Comentários