PremiumHerdade da Comporta: a essência está na terra e nas gentes

O consórcio Vanguard Properties e Amorim Luxury prepara-se para comprar os ativos da Herdade da Comporta por 158 milhões de euros. O impacto do imobiliário e do turismo pode quebrar uma harmonia que persiste há décadas.

Ainda o sol não se levantou e já os agricultores estão nas avenidas de arrozais a lavrar a terra que arrendam à Herdade da Comporta. Muitos rendeiros começaram ainda em tenra idade a trabalhar nos campos para ajudarem no sustento das famílias, que ainda hoje habitam as sete aldeias que compõem a Herdade, que passou para a família Espírito Santo em 1955.

O então presidente do Banco Espírito Santo, Manuel Espírito Santo Silva, após profunda reflexão com o seu irmão, José, resolveu comprar a Herdade da Comporta à britânica Atlantic Company para continuar a desenvolver a indústria agrícola. “A família encabeçou um grupo de acionistas”, revelou fonte familiarizada com a história. “Desde então, a Herdade arrenda os terrenos aos agricultores locais que exploram a terra por conta própria”, revelou .

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Autoeuropa investe 103 milhões na modernização da fábrica de Palmela em 2020

“Investir na fábrica é investir nas nossas pessoas, na nossa região e no nosso país. Com a nova linha de corte nas prensas e a automatização do armazém de logística interna aceleramos o futuro”, refere a empresa do grupo Volkswagen.

Observatório de turismo do Algarve vai integrar rede mundial da OMT

O reconhecimento do observatório regional pela OMT acontecerá dia 23, na próxima quinta-feira, durante a FITUR, a feira de turismo de Madrid à qual o Algarve regressa este ano e onde se promoverá de 22 a 26 de janeiro.

Banco de Portugal adopta ‘energia verde’ nos seus edifícios

“A transição para a nova forma de consumo de energia deverá estar concluída ainda durante o primeiro trimestre deste ano. Com esta medida, o Banco tem como objetivo reduzir a sua pegada de carbono”, explica a instituição
Comentários