Hilton investe 40 milhões de euros em novo hotel em Vila Nova de Gaia

A nova unidade hoteleira da Hilton é um cinco estrelas, com 194 quartos e ‘suites’, contou com um investimento de mais de 40 milhões de euros e abre ao público na segunda-feira, no número 124 da Rua de Serpa Pinto,

O hotel Hilton Porto Gaia, segunda unidade em Portugal da Hilton Hotels & Resorts, custou mais de 40 milhões de euros e abre na segunda-feira, no centro histórico de Gaia, com 194 quartos, criando 100 postos de trabalho.

A nova unidade hoteleira da Hilton é um cinco estrelas, com 194 quartos e ‘suites’, contou com um investimento de mais de 40 milhões de euros e abre ao público na segunda-feira, no número 124 da Rua de Serpa Pinto, em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, depois de uma “intensiva e cuidadosa obra de requalificação de antigos armazéns de vinho do Porto”, revelou hoje, em conferência de imprensa, Paulo Almeida, presidente do Conselho de Administração da Sabersal, Promoção Turística e Imobiliária.

O novo Hilton Porto Gaia vai permitir a criação de mais de 100 postos de trabalho diretos e indiretos, contribuindo, ativamente, para a dinamização das economias locais (das cidades do Porto e de Gaia) e regional (da região Norte de Portugal), referiram os promotores.

Segundo a diretora geral do Hilton Porto Gaia, Mónica Gonçalves, a nova a unidade hoteleira tem 32 mil metros quadrados (m2), um espaço que vai apostar no turismo de negócios, mas que está aberto à cidade e a todos os portugueses.

O grupo está consciente dos desafios que o atual contexto de pandemia impõe, mas está crente da “enorme mais-valia” que o novo Hilton Porto Gaia vai trazer ao eixo Porto-Gaia.

“A nossa ideia é ver estas duas cidades juntas, porque o nosso grande objetivo é trazer grandes eventos. Em primeiro lugar desenvolver o destino Porto e Norte. Nós [Hilton Porto Gaia] somos o ponto de encontro, nós somos a receção. Nós queremos é a autenticidade. A nossa gastronomia é a portuguesa. Vamos ter o arroz de pato, mas vamos ter o cabrito. Queremos que a comunidade do Porto e de Gaia e do país veja o que temos de bom para oferecer”, disse a reponsável.

O grupo refere que o hotel quer “fazer parte de um coletivo forte e capaz de competir ao mais alto nível no panorama internacional, seja no turismo de lazer, seja na atração dos grandes eventos para a região”.

O Hilton Porto Gaia, que nasce de um acordo de ‘franchising’ com a Sabersal — Promoção Turística e Imobiliária, S.A, manteve a traça exterior, fazendo lembrar os telhados das tradicionais caves de vinho do Porto, contando com o trabalho desenvolvido pelo atelier de arquitetura ARQ 2525 e liderado pelo arquiteto Miguel Miranda.

O interior da unidade ficou a cargo da ‘designer’ portuguesa Nini de Andrade Silva, que aliou o “conforto” que caracteriza as propriedades da Hilton Hotels & Resorts e uma “arquitetura e design de interiores sofisticados e contemporâneos”.

“É uma grande homenagem ao vinho”, explicou a ‘designer’ madeirense presente na conferência de imprensa, afirmando que o objetivo foi conseguir “um luxo sóbrio”.

O hotel está repartido por oito pisos, oferecendo um conjunto de serviços complementares, que podem ser usufruídos pelo público em geral, designadamente um restaurante, um ‘lobby’ bar, um bar panorâmico, um ‘spa’ com recurso às algas de Vila Nova de Gaia, e um ginásio, equipado com um estúdio para pilates clínico e ioga.

A unidade hoteleira tem também várias salas para reuniões e eventos, um auditório com 300 lugares e um ‘ballroom’ com capacidade para cerca de 600 pessoas.

Tanto o auditório como o ‘ballroom’ disponibilizam palcos amovíveis, ideais para apresentações ou exposições, mas também para a realização de espetáculos culturais.

Grupo O Hilton Hotels & Resorts conta com mais de 590 hotéis em seis continentes.

Recomendadas

O principal desafio para o sector das pescas é tecnológico

O presidente da Associação dos Armadores de Pesca Industrial diz que a frota precisa de um salto tecnológico que a União Europeia deveria impor e apoiar quanto antes.

Desenvolvimento tecnológico vai marcar segurança privada

Na lista das 10 tendências identificadas pela associação norte-americana de segurança, e que constam do seu último relatório, todas têm uma base tecnológica e metade respeitam a esta integração entre vídeo e software, com destaque para as ferramentas de reconhecimento facial.

PremiumMário Palhares: “BNI e Finibanco Angola continuam empenhados em encontrar uma solução”

O processo de venda do Finibanco Angola a Mário Palhares do Banco BNI, acordado em 2015, acabou. Mas o CEO do banco angolano garante ao JE que o BNI e o Finibanco continuam empenhados em encontrar uma solução.
Comentários