Histórico: Juros da dívida portuguesa a 10 anos negociaram a taxas negativas pela primeira vez

Apesar da crise provocada pela pandemia, a ação do Banco Central Europeu (BCE) tem beneficiado o custo da dívida portuguesa. Os juros atingiram hoje os -0,001%.

Lisboa | Twitter

Pela primeira vez na história, o juro das Obrigações do Tesouro portuguesas a 10 anos negociou esta quinta-feira a juros negativos no mercado secundário, ao tocar os -0,01%.

Os juros da dívida portuguesa têm vindo a renovar mínimos históricos nas últimas semanas, mas as notícias positivas sobre a vacina levaram os juros dos países da periferia a subir ligeiramente. Porém, esta semana voltaram à trajetória descendente e atingiram hoje um recorde.

Acompanhando a tendência de queda na zona euro, o juro da dívida soberana caiu esta quinta-feira de manhã para 0,003%, um novo mínimo histórico, mas desceu ainda mais e por momentos tocou juros negativos, onde se encontram já todas a maturidades até e incluindo a de nove anos, estando agora a negociar em 0,007%.

Apesar da crise provocada pela pandemia, a ação do Banco Central Europeu (BCE) tem beneficiado o custo da dívida portuguesa.

No mercado primário, o IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública emitiu em outubro, pela primeira vez, dívida a oito anos com uma taxa negativa (-0,085%). Antes disso só tinha conseguido cobrar para pedir emprestado a seis anos, em leilões em janeiro e julho.

A descida das yields da zona euro foi acelerada pela comunicação do BCE após a reunião de 29 de outubro, quando Christine Lagarde afirmou que o banco central irá “recalibrar” todos os instrumentos, incluindo os programas de compra de ativos.

Questionada a 13 de novembro sobre se essas novidades estão já incorporadas no preço da dívida, Cristina Casalinho, presidente do IGCP, respondeu ao Jornal Económico de forma minimalista, mas clara: “os preços no mercado tendem a refletir toda a informação disponível ao público em geral”.

(Em atualização)

 

Ler mais

Relacionadas

PremiumEntre o BCE e a vacina, a taxa a 10 anos deverá ficar acima da ‘linha zero’

Taxa da dívida a 10 anos ‘namorou’ os 0%, mas notícias sobre a vacina levaram os investidores para ativos de risco. Mais estímulos do BCE já estão incorporados no preço, mas devem limitar a subida.
Recomendadas

Wall Street encerra no verde em dia de tomada de posse do novo presidente dos EUA

A tendência de ganhos em Wall Street prossegue no dia de tomada de posse do novo presidente dos EUA, Joe Biden.

Bolsa de Lisboa é a única que cai na Europa

As valorizações da EDP Renováveis e da Galp de mais de 1% não evitaram a queda do índice lisboeta. Europa fecha no verde.

Wall Street abre em alta no dia da tomada de posse de Biden

Resultados da banca acima do esperado e sinal de que Joe Biden vai estimular a economia norte-americana está a animar a bolsa de Nova Iorque.
Comentários