Hoje há debate quinzenal com o primeiro-ministro sobre políticas ambientais e de valorização do território

Na agenda parlamentar de hoje destacam-se também o debate preparatório do Conselho Europeu e o debate com a participação do Governo sobre os instrumentos de governação económica da União Europeia. A próxima reunião do Conselho Europeu vai realizar-se nos próximos dias 20 e 21 de junho, para tomar decisões sobre as nomeações para o novo ciclo institucional e para adotar a Agenda Estratégica 2019-2024.

Realiza-se hoje na Assembleia da República mais um debate quinzenal com o primeiro-ministro, António Costa, desta vez sobre políticas ambientais e de valorização do território. Será uma oportunidade para o Governo destacar o pacote de medidas verdes – relativas à descarbonização da sociedade, à economia circular e à valorização do território – que aprovou recentemente em Conselho de Ministros.

Ao nível da descarbonização da sociedade, o Governo aprovou duas medidas: “O Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050, através do qual é adotado o compromisso de alcançar a neutralidade carbónica em Portugal até 2050, o que se traduz num balanço neutro entre emissões de gases com efeito de estufa (GEE) e o sequestro de carbono pelo uso do solo e florestas”; e “a resolução que contempla a aquisição e locação de veículos de zero emissões por parte de setor empresarial do Estado, contribuindo para a descarbonização das frotas das empresas públicas. Dá-se, assim, mais um passo no sentido de reduzir as emissões nacionais de gases com efeito de estufa entre 45% e 55% até 2030, devendo o setor dos transportes contribuir com uma redução de 40%”.

No âmbito da economia circular foram aprovados: “O decreto-lei que estabelece o regime jurídico de produção de água para reutilização, obtida a partir do tratamento de águas residuais, bem como da sua utilização, por forma a promover a sua correta utilização e evitar os efeitos nocivos para a saúde e para o ambiente. Face ao consumo crescente de água, a que acresce a frequência e intensidade das secas, a reutilização constitui uma origem alternativa, contribuindo para o uso sustentável dos recursos hídricos, na medida em que permite a manutenção de água no ambiente e a respetiva preservação para usos futuros (aprovação na generalidade)”; e “a resolução que altera a composição do Grupo de Coordenação do Plano de Ação para a Economia Circular (PAEC). Pretende-se assegurar uma maior estabilidade na designação dos representantes das diferentes áreas e imprimir maior eficácia no acompanhamento das orientações previstas no PAEC”.

Quanto à valorização do território, o comunicado do Conselho de Ministros realçava que foram aprovadas “quatro iniciativas legislativas que dão continuidade à estratégia de promoção do ambiente e da natureza como fatores de desenvolvimento do país”.

 

Nomeações e Agenda Estratégica 2019-2024 da UE

Na agenda parlamentar de hoje destacam-se também o debate preparatório do Conselho Europeu e o debate com a participação do Governo sobre os diversos instrumentos de governação económica da União Europeia (UE). A próxima reunião do Conselho Europeu vai realizar-se nos próximos dias 20 e 21 de junho.

De acordo com a agenda oficial, os dirigentes europeus reunir-se-ão nesses dias em Bruxelas para tomar decisões sobre as nomeações para o novo ciclo institucional e para adotar a Agenda Estratégica 2019-2024 da UE. A Agenda Estratégica será utilizada no planeamento dos trabalhos do Conselho Europeu e servirá de base aos programas de trabalho das outras instituições da UE.

Ler mais
Recomendadas

Como manter a casa fresca com este calor abrasador?

Na rua, opte por vestir roupas leves e frescas, evite esforço físico e hidrate-se bem. Em casa, feche portas e janelas, corra os estores, persianas ou use toldos durante os períodos de maior calor.

Madrid vai parecer Marraquexe e Londres vai ter o clima de Barcelona. Como vamos viver em 2050?

As zonas temperadas ou frias do hemisfério norte vão ter temperaturas de cidades mais próximas do equador, sendo que estas mudanças climáticas vão apresentar efeitos prejudiciais à saúde e às infraestruturas.

Sede da UNESCO vai ter uma horta portuguesa

Ainda não há uma data definida para a implantação do projeto, mas estima-se que até ao final de 2019 a grande horta urbana, com assinatura portuguesa, da sede da UNESCO esteja já em fase de cultura.
Comentários