Horizonte 2020: Bruxelas distingue e apoia mais sete PME portuguesas

O valor recebido por as sete empresas portuguesas perfaz 350 mil euros dos 12,2 milhões atribuídos durante esta Fase 1 do Instrumento PME.

Krisztian Bocsi/Bloomberg

Os últimos resultados do Instrumento PME (Fase 1) do programa de Investigação Horizonte 2020, que contemplou mais 246 pequenas e médias empresas (PME) de 24 países europeus, revelam a distinção de sete empresas portuguesas, anunciou esta segunda-feira, dia 29, a Comissão Europeia.

As PME portuguesas distinguidas foram a Watgrid, de Aveiro, que potencia a monitorização remota e em tempo real de informação fundamental para o processo vinícola; a FuncionalST, de Braga, pela utilização de ressonância eletromagnética com o fim do tratamento de águas; a Improveat, Braga, que com a tecnologia Impearl pretende revolucionar a indústria alimentar;a Delox, de Cascais, que desenvolve uma formulação do peróxido de hidrogénio vaporizado que baixa os custos da descontaminação hospitalar; a Flaner, de Lisboa, pelo desenvolvimento de uma plataforma software que torna mais eficaz a recolha de informação de um conteúdo informático; a Mercurius Health, de Lisboa, que com a plataforma Mercuris Connect permite que pacientes oncológicos acedam a profissionais de radioterapia mais especializados; e a Nexlys, de Marinhais, que desenvolve uma ferramenta de  realidade aumentada para dar apoio a agricultores.

Cada PME que vai receber 50 mil euros para desenvolver o plano de negócio dos projetos apresentados. O valor recebido por estas sete empresas perfaz assim 350 mil euros dos 12,2 milhões atribuídos durante esta Fase 1 do Instrumento PME. Para além deste prémio, os beneficiários têm também direito a formação gratuita e a serviços de aceleração de negócios.

Recorde-se que o Instrumento PME é parte do projeto-piloto Conselho Europeu de Inovação, que apoia inovadores, empreendedores, pequenas empresas e cientistas de excelência com oportunidades de financiamento e serviços de aceleração.

Desde o lançamento do programa, a 1 de janeiro de 2014, foram selecionadas 3 115 PME para financiamento ao abrigo da Fase 1 do Instrumento PME. Dessas empresas 87 são portuguesas e receberam um financiamento total de 10,25 milhões de euros.

Sobre a distinção deste grupo de PME portuguesas, carlos Moedas, comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, sublinhou o entusiasmo com que tem visto os mais recentes resultados das PME portuguesas nos diferentes instrumentos do Horizonte 2020: “Estas sete empresas agora premiadas juntam-se a outras 88 PME que, desde 2014, foram financiadas pelo Instrumento PME (Fase 1). Juntas comprovam, mais uma vez, que os empreendedores portugueses que apostam na inovação conseguem desenvolver projetos de qualidade e competir ao mais alto nível e internacional. A inovação continua a ser uma aposta no futuro: porque o trabalho destas empresas arrojadas é fundamental para fazermos a nossa ciência e a nossa economia avançar de Norte a Sul”, conclui.

Ler mais
Recomendadas

Telefónica analisa compra parcial da Oi, avaliada em 6 mil milhões

A Oi é detida em cerca de 5% pela Bratel da portuguesa Pharol, ex-PT SGPS, que por sua vez tem como acionista o Novo Banco com ​9,56%. E o BCP tem poder para vender os 9,99% da High Bridge por conta de uma dívida bancária não paga.

ASF aprova norma que estabelece qualificação adequada para vendedores de seguros

A ASF entende que o reforço da qualificação “em impacto na qualidade da prestação de serviços, na diminuição da conflitualidade e do número de reclamações, o que, por seu turno, acarreta consequências positivas em termos reputacionais e da imagem do setor”.

Portugal vai “perder 200 milhões de euros num ano” mas Altice não vai “estorvar” compra da TVI

O processo de compra da dona da TVI pela Altice, por 440 milhões de euros, caiu por terra em junho do ano passado, quando o grupo espanhol Prisa, dono da Media Capital, confirmou a desistência do negócio. Hoje Alexandre Fonseca voltou a criticar a Autoridade da Concorrência (AdC) por durante meses não se ter pronunciado sobre o negócio.
Comentários