Iberdrola lucra 115 milhões com megacontrato de venda de gás de natural

O grupo espanhol chegou a um acordo com a empresa Pavilion Energy Trading & Energy, para vender o seu portefólio de fornecimento de gás natural liquefeito (GNL), de cerca cinco milhões de metros cúbicos, avaliados em cinco milhões de euros.

A Iberdrola chegou a um acordo com a empresa Pavilion Energy Trading & Energy para vender o seu portfólio de fornecimento de gás natural liquefeito (GNL) a longo prazo. Esta carteira de gás, de aproximadamente cinco milhões de metros cúbicos, está avaliada em cerca de cinco milhões de euros. Com esta transação, a Iberdrola alcança uma receita extra de 115 milhões de euros, segundo revela o jornal “Expansión”, esta quinta-feira.

A avaliação final do contrato encontra-se sujeita a certos ajustes já acordados entre a Iberdrola e a Pavilion, bem como o valor do GNL transferido na altura da conclusão do negócio. Esta operação, que terminará a 1 de janeiro de 2020, faz parte do plano não estratégico de rotavidade de ativos da Iberdrola, que prevê desinvestimentos de 3.500 milhões até 2022, dos quais 50% já foram cumpridos.

A Iberdrola explicou que este acordo representa uma mudança na atual estratégia de fornecimento de gás do grupo para cobrir as necessidades dos seus clientes finais e das suas fábricas de ciclo combinado.

A partir de agora, a empresa de energia vai concentrar-se na distribuição de gás a curto prazo, aproveitando a tendência natural do desenvolvimento dos mercados de gás na Europa.

Recomendadas

Navigator nomeia dois novos administradores executivos

João Paulo Cabete Lé e Adriano Agusto Silveira são os novos administradores executivos no mandato do quadriénio em curso, com efeitos a 1 de Janeiro de 2020.

Jorge Calvete é o administrador judicial da Orey Antunes que pediu um PER

O prazo para a reclamação de créditos, começa a correr a partir da data da publicação do anúncio no Portal Citius, ou seja, 10 de dezembro de 2019. Os prazos são contínuos, não se suspendendo durante as férias judiciais.

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.
Comentários