PremiumID Logistics prevê receita de 32 milhões em Portugal em 2021

Grupo de origem francesa tem nova chefia em Portugal, desde o final de junho. Nova gestora reforça liderança no feminino no grupo. Em Portugal, a estratégia é consolidar áreas fortes do negócio e alavancar ‘e-commerce’.

Vitória Nunes, diretora-geral da ID Logistics Portugal

O grupo de origem francesa ID Logistics estima fechar o ano de 2021 com uma receita a rondar os 32 milhões de euros em Portugal, revela ao Jornal Económico (JE) Vitória Nunes, que assumiu a liderança da ID Logistics Portugal no final do mês de junho.

A previsão da gestora alicerça-se no desempenho operacional da empresa de logística nos primeiros seis meses do ano, sob a direção do antecessor Hugo Oliveira, e a estratégia de consolidação e crescimento delineada para a segunda metade do ano, em que a prioridade é fortalecer a operação da ID Logistics nos sectores farmacêutico, de consumo, bem como alavancar a área de e-commerce (comércio eletrónico) na operação portuguesa. O objetivo final é fortalecer a operação portuguesa que, em conjunto com Espanha, representa o mercado mais relevante fora de França.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

DHL. Entregas de encomendas vão ficar mais caras a partir de 1 janeiro de 2022

A empresa de logística avançou com um ajustamento na tabela de preços e anunciou que os consumidores em Portugal vai pagar mais 4,9%, comparativamente a 2021, pela entrega de encomendas.

Vendas da dona do Minipreço descem 5% em Portugal

Na operação em Portugal as vendas líquidas caíram -4,2% para 296,3 milhões num ano. “Foram afetadas por restrições nos horários de abertura de lojas e uma base de lojas 12,1% menor relativamente ao mesmo período de 2020”, diz o grupo espanhol.

Número de reclamações no sector das comunicações aproxima-se dos níveis pré-pandemia

Queixas caíram 8%, para 28.4 mil reclamações, no segundo trimestre do ano. No sector das comunicações eletrónicas, a NOS foi o operador mais reclamado, enquanto, no sector postal, os CTT foram a empresa mais visada nas reclamações, de acordo com a Anacom.
Comentários