IEFP: Menos 22 mil pessoas inscritas nos centros de desemprego em maio (com áudio)

Os dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional, desta segunda-feira, revelam que, em maio, estavam registados nos serviços de emprego mais de 402 mil indivíduos desempregados, menos 22 mil pessoas quando comparado com o mês abril.

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) no continente e regiões autónoma, em maio, desacelerou para os 402 mil. Perto de menos 22 mil pessoas, ou menos 5,1%, quando comparado com o mês de abril de 2021, altura em que se contabilizaram 423 mil inscritos.

Em termos homólogos, de acordo com os dados divulgados esta segunda-feira, a descida no desemprego registado é mais ligeira, sendo de 1,7%, ou menos 6.751 pessoas.

Segundo o IEFP, “para a diminuição do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2020, na variação absoluta, contribuiu o grupo dos que estão inscritos há menos de um ano (-50.161) e, em sentido inverso, contribuiu com o maior aumento no desemprego aqueles que permanecem inscritos há mais de um ano (+43.410)”.

A nível regional, os dados do IEFP indicam que o desemprego aumentou apenas na Região Autónoma da Madeira, em quase 14%, enquanto que em Lisboa e Vale do Tejo o aumento foi de 4,2%. Em sentido contrário, registou-se o maior decréscimo deste indicador no Algarve (-17,6%) e Alentejo (-7,4%).

Quanto aos grupos profissionais, um quarto dos desempregados são “trabalhadores não qualificados“, enquanto 23,1% são “trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção segurança e vendedores”, grupo que apresentou a maior subida percentual do desemprego relativamente ao mês homólogo de 2020.

Recomendadas

Topo da agenda: o que vai marcar a atualidade esta quinta-feira

«Enquanto os parceiros continentais de Bruxelas e, do outro lado do Atlântico, a Fed insistem que a economia tem ainda alguns passos a dar até se poder pensar numa subida das taxas de juro, Londres deverá manter semelhante posição, podendo, no entanto, sinalizar já alguma abertura a considerar o próximo passo.

Levantamento de restrições e valorização da libra indicam recuperação do turismo britânico em Portugal

A fintech Ebury, especializada em pagamentos internacionais, diz que, tendo em conta a preferência dos portugueses por destinos de praia, os destinos mais vantajosos em termos cambiais são o Dubai (Emirados Árabes Unidos), as Caraíbas e Zanzibar, na Tanzânia.

Região do Alentejo espera aumentar produção de vinho até 10% este ano

Segundo as previsões da Universidade do Porto, a região vitivinícola do Alentejo estima aumentar a produção para 120 milhões de litros de vinho, contra os 113 milhões de litros produzidos no ano passado, o que já representou uma subida de 15% face a 2019.
Comentários