IMGA ascende a segundo lugar no ranking nacional de gestoras

Atualmente, a sociedade conta com 30 fundos de investimento mobiliários comercializados aos balcões das redes do Millennium bcp, Activo Bank, Crédito Agrícola e EuroBic.

A IM Gestão de Ativos encerrou o mês de agosto com 2.593,3 milhões de euros de ativos sob gestão, tornando-se a segunda maior sociedade gestora de fundos de investimento mobiliário em Portugal, aponta a empresa em comunicado.

De acordo com os dados da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa tem uma quota de mercado de 19,8% e trocou de lugar com o BPI Gestão de Ativos. Por sua vez, o ranking continua a ser liderado pela Caixa Gestão de Ativos.

O património que se encontra sob gestão da IMGA registou um crescimento de 8,7% desde o início do ano. O CEO da IM Gestão de Ativos, Emanuel Silva, descreveu a evolução como “particularmente gratificante num ano atípico que obrigou a um trabalho redobrado e de elevado grau de dedicação por parte de todas as equipas e distribuidores dos fundos de investimento geridos pela Sociedade, os quais registaram movimentos de volatilidade histórica e que foram recuperando as rendibilidades ao longo dos últimos meses”, aponta em comunicado.

Atualmente, a sociedade conta com 30 fundos de investimento mobiliários comercializados aos balcões das redes do Millennium bcp, Activo Bank, Crédito Agrícola e EuroBic. Apesar do elevado número, a IMGA quer consolidar a sua quota de mercado e ampliar a sua oferta de soluções de investimento, reforçando o seu posicionamento como uma das maiores gestoras independentes da Península Ibérica.

O CEO da IMGA adianta que no presente mês, a sociedade “passou a disponibilizar soluções alternativas de investimento, sob a forma de fundos de capital de risco, os quais serão comercializados por um conjunto de entidades com as quais a IMGA estabeleceu acordos de distribuição”.

Recomendadas

Regresso às aulas: Bloco de Esquerda que ouvir ministro da Educação no Parlamento

“O primeiro ministro veio agora correr atras do prejuízo” e anunciou que agora “serão contratados mais 1.500 funcionários”, uma medida que segundo o Bloco de Esquerda deveria ter sido anunciada mais cedo.

Iniciativa Liberal vê Plano de Resiliência como “indício de uma oportunidade perdida”

João Cotrim Figueiredo reagiu ao Plano de Recuperação e Resiliência com críticas ao “dirigismo” e “aspetos propagandísticos” de um documento em que apenas um terço das verbas se destinam a investimento reprodutivo, com recapitalização das empresas e geração de emprego.

Número de desempregados dispara 34% em agosto. Algarve com subida de 177%

Por regiões, todas registaram um aumento dos pedidos de desemprego, exceto os Açores, onde desce 1,3%. Já o Algarve registou a maior subida de pedidos de emprego, mais 177,8% face a 2019.
Comentários