IMI superior a 100 euros poderá ser pago em três prestações

Governo pretende também mudar o calendário dos pagamentos passando os contribuintes a pagar em maio, agosto e novembro.

A partir do próximo ano, os contribuintes que pagam mais de 100 euros do imposto municipal sobre imóveis (IMI) vão poder fazer esse pagamento em três parcelas, segundo a edição desta sexta-feira, 28 de setembro, do “Jornal de Notícias”.

O Governo quer reduzir de 250 euros para os 100 o valor que tem de ser liquidado de uma só vez, permitindo desta forma que as famílias diluam o peso do imposto ao longo do ano. Atualmente, os proprietários que recebem uma nota de liquidação do IMI até 250 euros são obrigados a pagar de uma só vez.

Somente as famílias cuja obrigação  fiscal seja superior a 250 euros podem recorrer ao pagamento fraccionado. Contudo, se a liquidação não vai além dos 500 euros, é feito em duas prestações, caso seja acima dos deste valor serão três prestações.

A primeira prestação e única para quem paga menos de 100 euros passará a ser cobrada em maio, em vez de abril. Esta mudança no calendário de pagamento deve-se à “crescente complexidade do sistema liquidador”, e também porque a Autoridade Tributária e Aduaneira precisa de mais tempo para montar o processo de cobrança.

Recomendadas

Avaliação da ‘performance’ de uma estratégia de investimento

O retorno de uma estratégia de investimento tem sempre de ser ajustado ao risco incorrido. Esta é a primeira consideração de uma avaliação.

Do ministério das Finanças para governador do Banco de Portugal? “Já houve três precedentes, todos do PSD”

As passagens diretas entre o Terreiro do Paço e o supervisor bancário aconteceram durante os governos de Cavaco Silva, recordou Marques Mendes que garante que Mário Centeno vai assumir o cargo de governador ainda este ano. Dos três nomeados, apenas Miguel Beleza era ministro.

PremiumMargarida Marques: “A última coisa que queremos é um conflito institucional”

Correlatora para o Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027 diz que o Parlamento Europeu não terá problemas em rejeitar proposta do Conselho Europeu, mas espera avanços após cimeira extraordinária.
Comentários