Impeachment contra Trump segue para o Senado esta sexta-feira

Joe Biden pediu celeridade no processo, mas não é certo que os republicanos no Senado queiram fazer-lhe a vontade. Entretanto, Donald Trump já contratou um novo advogado para o representar na defesa contra a acusação de incitamento à violência.

Michael Reaves/Getty Images

Câmara dos Representantes pode transmitir o documento de impeachment a Donald Trump, aprovado na semana passada na câmara baixa, para o Senado já esta sexta-feira, avança a agência Reuters. Deste modo, os democratas da Câmara estão a cumprir o desejo do novo presidente, Joe Biden, que pediu para que o congresso não demorasse demasiado tempo a dar o processo por encerrado.

A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, recusou responder às perguntas da comunicação social norte-americana sobre o assunto.

Numa votação na Câmara na semana passada, o republicano Donald Trump tornou-se o primeiro presidente da história dos Estados Unidos a sofrer dois impeachments. Estre segundo acusa-o de incitar o ataque de 6 de janeiro ao Capitólio – mortal para seis pessoas – numa tentativa fracassada de impedir o Congresso de certificar formalmente a vitória de Biden.

Os democratas, que detêm maioria na Câmara, assumiram o controlo do Senado, mas pelo menos dois terços do corpo de 100 membros terão que votar favoravelmente para que Trump seja condenado.

Segundo as regras do Senado, o julgamento começa um dia depois de a Câmara entregar a acusação. Não estava claro, entretanto, se um adiamento poderia ser planeado, como alguns democratas sugeriram, para manter a agenda e as nomeações de Biden para a sua admiração a correr sem interferências.

Alguns republicanos do Senado argumentaram que o Congresso não deveria colocar um ex-presidente em julgamento e que, ao fazer isso, o país voltaria a dividir-se. O líder da minoria republicana na Câmara, Kevin McCarthy, disse achar que o presidente Trump continua “a ter capacidade de liderar este partido e de o unir”.

Entretanto, Trump já contratou um advogado para o defender do impeachment: será o advogado da Carolina do Sul Butch Bowers. Bowers representou ex-governadores republicanos na Carolina do Sul e serviu no Departamento de Justiça dos Estados Unidos no governo do ex-presidente George W. Bush.

Ler mais
Relacionadas

De Trump a Andrew Johnson. Que presidentes norte-americanos foram alvos de impeachments?

Em 2021 e a sete dias de abandonar a Casa Branca, Donald Trump tornou-se o primeiro presidente a ser alvo de impeachment no mesmo mandato, mas não foi o único presidente que enfrentou um processo de destituição.

Câmara dos Representantes aprova destituição de Donald Trump. Processo passa para o Senado

A invasão do Capitólio há apenas uma semana levou ao segundo processo de impeachment, que foi apoiado pela maioria democrata e por 10 representantes republicanos. O processo sobe agora ao Senado, onde o desfecho do julgamento ao presidente é ainda incerto.
Recomendadas

PremiumExploração espacial: Todos os caminhos vão dar a Marte

O planeta vermelho está por estes dias cheio de trânsito: três missões – dos Estados Unidos, da China e dos Emirados Árabes Unidos – evoluem em paralelo, na tentativa de darem a perceber melhor as suas caraterísticas, até porque a NASA pretende trazer amostras recolhidas pela Perseverance de volta para a Terra. Entre o sonho humano de chegar sempre mais longe e a vontade política de comandar esse sonho, Marte é a próxima fronteira.

PremiumPablo Hasél: Rap para aquecer as noites frias do inverno catalão

Um rapper está preso desde o dia seguinte às eleições na Catalunha. Não será motivo suficiente para explicar o incêndio que volta a devastar Barcelona: o impasse político com Madrid mantém-se e parece mesmo ter possibilidade de aumentar. Entretanto, ainda ninguém sabe como será o próximo governo da autonomia.

Pokémon comemora 25 anos em alta com ajuda da pandemia

O vídeojogo Pokémon, uma das franquias globais mais bem sucedidas, assinala hoje 25 anos da estreia no Japão, agora reforçado pela pandemia da covid-19 que tem impulsionado o entretenimento digital.
Comentários