PremiumImperial Brands aposta em Portugal para crescer

Um estudo da multinacional, em Portugal 72% dos fumadores nunca tentaram tabaco eletrónico, o que representa um potencial margem assinalável de negócio, apesar das dúvidas sobre os riscos de saúde.

Portugal é uma das apostas de futuro para a Imperial Brands, holding do grupo britânico Imperial Tobacco, um dos maiores grupos no setor do tabaco a nível mundial, que está a fazer a sua transição do tabaco tradicional para formas alternativas, como o tabaco eletrónico. Apesar da pequena dimensão do mercado nacional, em comparação com outros na Europa ou do outro lado do Atlântico, no mercado nacional existe ainda uma grande parte dos fumadores tradicionais que não experimentou este tipo de produtos.

Segundo os mais recentes estudos da Imperial Brands, a que o Jornal Económico teve acesso, em Portugal, 26% da população tem o hábito de fumar (smoking prevalence) cigarros tradicionais, nem que seja uma vez por dia. Destes, cerca de 6% pararam ou tentaram através de alternativas como as pastilhas para deixar de fumar e 8% experimentaram ou tentaram os cigarros eletrónicos. Mas 72% deste universo de fumadores nunca tentaram o cigarro eletrónico ou vaping.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Autoeuropa investe 103 milhões na modernização da fábrica de Palmela em 2020

“Investir na fábrica é investir nas nossas pessoas, na nossa região e no nosso país. Com a nova linha de corte nas prensas e a automatização do armazém de logística interna aceleramos o futuro”, refere a empresa do grupo Volkswagen.

Observatório de turismo do Algarve vai integrar rede mundial da OMT

O reconhecimento do observatório regional pela OMT acontecerá dia 23, na próxima quinta-feira, durante a FITUR, a feira de turismo de Madrid à qual o Algarve regressa este ano e onde se promoverá de 22 a 26 de janeiro.

Banco de Portugal adopta ‘energia verde’ nos seus edifícios

“A transição para a nova forma de consumo de energia deverá estar concluída ainda durante o primeiro trimestre deste ano. Com esta medida, o Banco tem como objetivo reduzir a sua pegada de carbono”, explica a instituição
Comentários