Imposto estatal de 7 mil milhões de dólares coloca futuro da Samsung em risco

Família fundadora da Samsung corre o sério risco de perder o seu controlo em breve.

Samsung

Desde que o presidente da Samsung Electronics Co. Lee Kun-hee, 77 anos, patriarca da família fundadora da empresa coreana, sofreu um ataque cardíaco em 2014 que o futuro da fabricante de telemóveis está em causa, visto que os herdeitos de Kun-hee poderão perder o controlo da empresa ao enfrentar um imposto estatal de 7 mil milhões dólares.

Lee Kun-hee é a pessoa mais rica da Coreia do Sul e é ainda o presidente da Samsung, mas está incapacitado e a imprensa da Coreia do Sul tem especulado sobre o agravamento do estado de saúde do magnata, de acordo com a “Bloomberg”.

A Samsung é grande empresa-símbolo da Coreia do Sul e o atual presidente da empresa é um dos símbolos maiores do setor empresarial coreano. Segundo a “Bloomberg”, o problema está no dia depois da morte de Lee Kun-hee. Os seus herdeiros terão de enfrentar um imposto estatal de quase 7 mil milhões de dólares e para pagá-los a família fundadora perderia o controlo sobre o grupo da Samsung.  O património líquido de Lee é de cerca de 15 mil milhões de dólares e os herdeiros teriam de vender parte da herança para cobrir o tal imposto, diluindo assim a sua participação na Samsung.

A necessidade do Estado coreano cobrar este imposto de 7 mil milhões de dólares deve-se à política tributária do país, que obriga ao pagamento de 50% do valor de fortunas com mais de 2,5 milhões de dólares.

Recomendadas

Danos reputacionais podem ser resolvidos pelo CIMPAS desde 1 de junho

Resolver litígios nos seguros em três meses é o objetivo do CIMPAS, o centro de arbitragem de seguros. Rute Santos, a diretora geral do organismo afirma que 70% dos conflitos ficam resolvidos. Os danos reputacionais podem ser alvo de reclamação no CIMPAS.

Negócio da nuvem cresce até 50% nas empresas de software

Empresários e gestores ligados às Tecnologias de Informação afirmam que já não há impedimentos à migração para ‘cloud’, tanto orçamentais, como de segurança.

PremiumFlixbus, a “Uber dos autocarros”, já tem 140 mil clientes em Portugal

A empresa só entrou em Portugal em 2017, mas já liga por autocarro mais de 20 cidades nacionais a mais de 50 destinos externos. Pablo Pastega quer a abertura do mercado de ‘Expressos’.
Comentários