Índia: Narendra Modi pode chegar à maioria absoluta

O atual primeiro-ministro chegou a ser dado, há poucos meses, como vencido nas eleições. Mas tudo se alterou em fevereiro e a vitória parece estar ao seu alcance.

Narendra Modi

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, e o seu partido nacionalista hindu lideram a contagem de votos nas legislativas do país e, segundo os jornais do país, pode mesmo chegar à situação de maioria absoluta: uma sondagem à boca das urnas atribui-lhe 298 dos 545 lugares do parlamento, acima dos 282 obtidos nas eleições de 2014 e dos 273, mais de 50%.

O Partido Bharatiya Janata (BJP, ou Partido do Povo Indiano) liderava a contagem em 277 círculos eleitorais enquanto o seu principal rival, o Congresso Nacional Indiano, dominava em 55, de acordo com o ‘site’ da comissão eleitoral indiana, citado pela agência Lusa.

A câmara baixa do Parlamento indiano conta 545 lugares, sendo que, para formar governo, um partido ou coligação precisa de 272 assentos.

As eleições tiveram início em 11 de abril, e foram vistas como um referendo a Modi, cujas reformas económicas não tiveram grande êxito, mas que continua muito popular no país de 1,3 mil milhões de pessoas. Durante seis semanas, entre abril e maio, 67% dos 900 milhões de eleitores indianos participaram na maior eleição já realizada no país.

Com 68 anos, o filho de um vendedor de chá em Gujarat (oeste) chegou ao poder em 2014 e enfrentou neste escrutínio vários poderosos partidos regionais e o partido do Congresso, liderado pelo herdeiro da dinastia política Nehru-Gandhi, Rahul Gandhi.

De acordo com várias sondagens, divulgadas no domingo, Modi e o BJP vão conseguir um novo mandato de cinco anos. A vantagem de Modi esbateu-se nos últimos meses, mas tudo sofreu uma profunda alteração a partir do momento em que houve um atentado.

Um alegado ativista muçulmano de nacionalidade paquistanesa decidiu, em fevereiro passado, fazer-se explodir, matando 40 militares indianos na região da Caxemira. A Índia respondeu com um ataque aéreo para lá da Linha de Controlo que divide os dois países, o Paquistão abateu de seguida um avião indiano que violara o seu espaço aéreo e Modi começou a subir nas sondagens.

De pouco valeu, na Índia, que o próprio o primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, tenha denunciado o interesse eleitoral no reacender do conflito – colocando com quase todas as letras a culpa do sucedido nos meandros secretos da estratégia do seu homólogo indiano.

Ler mais
Recomendadas

Londres deixa de participar na maior parte das reuniões da União Europeia a 1 de setembro

“Muitas das discussões nestas reuniões com a UE têm a ver com a União depois da saída do Reino Unido. Libertar os representantes dessas reuniões permite que eles concentrem melhor os seus talentos nas prioridades nacionais imediatas”, afirmou Steve Barclay.

“O ideal era que todos saíssem vivos, mas preferimos salvar os reféns”, diz governador do Rio de Janeiro após sequestro

Wilson Witzel parabenizou o trabalho do BOPE e lamentou a morte do sequestrador. Aos jornalistas, o governador do Rio de Janeiro apelou para que “este tipo de atrocidade” não se volte a repetir e anunciou que a família do criminoso terá acompanhamento.

Nave espacial indiana chega à órbita lunar

A nave foi lançada a partir da base de descolagem Sriharikota, no sudeste indiano, a 22 de julho, uma semana depois da primeira tentativa de lançamento ter tido problemas técnicos e adiado.
Comentários