Índice de confiança na economia portuguesa estabilizou, estima ISEG

Índice determinado pelo ISEG avalia a economia nacional numa escala de pontos de confiança. Zero é a confiança mínima e 100 é a confiança máxima.

Dado Ruvic/Reuters

O índice de confiança do ISEG apurado para setembro e relativo à evolução da atividade económica portuguesa no curto prazo foi de 35,3 pontos, de acordo com o índice de confiança do ISEG, sobre a evolução a curto prazo da economia portuguesa, revelado esta quinta-feira.

“No essencial, corresponde a uma estabilização do índice de confiança do painel na evolução da conjuntura face ao valor do índice apurado no mês de Julho, que foi de 35,2. Aumentou o consenso dos membros do painel relativamente à evolução económica”, lê-se no comunicado enviado à redação.

Este índice determinado pelo ISEG avalia a economia nacional numa escala de pontos de confiança. Zero é a confiança mínima e 100 é a confiança máxima. Há um painel de dezasseis professores do ISEG com base em informação quantitativa e qualitativa previamente recolhida e que inclui os apuramentos de um inquérito realizado mensalmente a todos os docentes do ISEG.

Recomendadas

Fundação José Berardo: estatutos dizem que fundação tem de cobrir despesas do empresário e família

Os estatutos indicam ainda que “no caso da fundação se extinguir antes da morte do fundador ou do último dos seus descendentes, os bens afetos à fundação pelo fundador, ou dos que estejam no lugar deles, reverterão para o mesmo fundador ou seus descendentes”.

Défice da balança de bens e serviços aumenta nos primeiros três meses do ano

Em comparação com o período homólogo, verifica-se que o défice do saldo acumulado das balanças aumentou, sendo que em 2018 o valor fixou-se nos 78 milhões de euros.

Eletricidade em Portugal entre as mais caras da União Europeia

Portugal paga a sexta eletricidade mais cara entre os estados-membros. É de destacar que as taxas e impostos e outros custos do sistema elétrico pesam 55% na fatura total dos portugueses.
Comentários