Índice de confiança na economia portuguesa estabilizou, estima ISEG

Índice determinado pelo ISEG avalia a economia nacional numa escala de pontos de confiança. Zero é a confiança mínima e 100 é a confiança máxima.

Dado Ruvic/Reuters

O índice de confiança do ISEG apurado para setembro e relativo à evolução da atividade económica portuguesa no curto prazo foi de 35,3 pontos, de acordo com o índice de confiança do ISEG, sobre a evolução a curto prazo da economia portuguesa, revelado esta quinta-feira.

“No essencial, corresponde a uma estabilização do índice de confiança do painel na evolução da conjuntura face ao valor do índice apurado no mês de Julho, que foi de 35,2. Aumentou o consenso dos membros do painel relativamente à evolução económica”, lê-se no comunicado enviado à redação.

Este índice determinado pelo ISEG avalia a economia nacional numa escala de pontos de confiança. Zero é a confiança mínima e 100 é a confiança máxima. Há um painel de dezasseis professores do ISEG com base em informação quantitativa e qualitativa previamente recolhida e que inclui os apuramentos de um inquérito realizado mensalmente a todos os docentes do ISEG.

Recomendadas

Produzir biocombustíveis pode afetar biodiversidade tanto como alterações climáticas

“Descobrimos que a combinação das alterações climáticas com a expansão em larga escala das culturas para biocombustíveis ameaçam cerca de 36% dos habitats de todas as espécies de vertebrados, incluindo muitas que já hoje estão sujeitas a um trabalho importante de conservação”, disse Stephen Willis, da Universidade de Durham.

Bombeiros: 95% das corporações do distrito de Lisboa deixaram de informar CDOS

O presidente da federação, António Carvalho, disse à Agência Lusa que apenas três das 56 corporações de bombeiros voluntários estão a informar o CDOS de Lisboa.

Governo vai fazer estudo sobre nova linha férrea no Vale do Sousa

O secretário de Estado discursava para algumas centenas de pessoas que hoje assistiram em Rebordosa, Paredes, à apresentação de um estudo preliminar para a construção de uma linha de caminho de ferro que ligue Valongo a Felgueiras, passando pelos concelhos de Paredes, Paços de Ferreira e Lousada.
Comentários