Indico Capital captou 1,1 milhões de euros para a EatTasty com assessoria da Cuatrecasas

A Cuatrecasas assessorou a Indico Capital Partners no fecho de uma ronda de investimento seed (fase inicial) para a startup EatTasty, no valor de 1,1 milhões de euros.

Este montante vai ajudar a empresa portuguesa, que detém uma plataforma online de confecção e entrega de almoços caseiros no local de trabalho, a consolidar a presença noutras cidades espanholas, depois de um lançamento bem-sucedido em Madrid e também em Lisboa.

A assessoria jurídica incluiu a transformação da startup em sociedade anónima, um aumento de capital precedente e um aumento de capital subsequente com prestações suplementares de capital. Além disso, a Cuatrecasas elaborou o contrato de investimento e acordo de accionistas, que foi usado para formalizar a ronda de investimento.

Da parte da Cuatrecasas participou uma equipa multidisciplinar coordenada pelo sócio Vasco Bivar de Azevedo, da área de Societário e M&A, e especializado em Venture Capital. Entre os advogados contam-se também Francisco Martins Caetano e João Stock da Cunha, associados da área de Societário e M&A, Sónia Queiróz Vaz, coordenadora da área de Propriedade Intelectual, Rita Galvão de Rezende, associada da mesma área, e Liliana Almeida de Moura, associada da área de Laboral.

O modelo de negócio da EatTasty assenta na contratação de restaurantes cujas cozinhas estejam em subutilização para, antes da hora de começar a servir os próprios clientes, confeccionarem refeições com ingredientes frescos, do próprio dia, que são depois entregues nos locais mais próximos, nomeadamente escritórios, mediante a utilização de uma aplicação. As encomendas podem ser feitas até às 12h00.

Nesta ronda de investimento, que foi liderada pela Indico, participaram também a Ibersol, um dos principais retalhistas de “comida rápida” da Península Ibérica, e os business angels Shilling Capital Partners, Singularity Capital e Olisipo Way, entre outros.

 

Ler mais
Recomendadas

“Falar Direito”. “Vistos Gold vieram para ficar e Portugal tem uma posição simpática a nível mundial”

“Na minha opinião, os Vistos Gold vieram para ficar. Acho que Portugal tem uma posição muito simpática a nível mundial. O nosso passaporte, que também alicia muitos investidores a optarem por Portugal, alicia muitos a investir via Portugal”, realçou a advogada da CRS, Raquel Galinha Roque.

“Falar Direito”. “Investimento estrangeiro? Lisboa e Porto estão na pole position”

“Lisboa e Portugal no geral têm-se vindo a colocar numa pole position em termos de investimento estrangeiro nomeadamente ao nível dos Vistos Gold. O Porto também tem vindo a ganhar muito com esta política”, realçou a advogada da CRS, Raquel Galinha Roque.

Regime dos vistos gold vai mudar em janeiro de 2022. Quais as implicações para os investidores? Veja o “Falar Direito”

Acompanhe o “Falar Direito” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.
Comentários