Indico Capital Partners tem 46 milhões para investir em startups tecnológicas

Fundo tem como objetivo identificar, investir e capitalizar as startups ibéricas mais promissoras, em particular as sediadas em Portugal. Valor estará comprometido por investidores de oito países diferentes.

A sociedade de capital de risco portuguesa Indico Capital Partners, anunciou esta sexta-feira o lançamento do seu primeiro fundo de investimento, o Indico Capital Partners VC I, com mais de 46 milhões de euros comprometidos por investidores de oito países diferentes, revelou o grupo em comunicado.

Este é o primeiro fundo de Venture Capital nacional, independente e privado, que irá investir nas fases iniciais de startups tecnológicas, com sede em Lisboa, considerado um dos centros tecnológicos em ascensão na Europa.

O objetivo deste fundo passa por identificar, investir e capitalizar as startups ibéricas mais promissoras, em particular as que se encontram sediadas em Portugal. Com o foco geográfico definido, o fundo irá direcionar os seus investimentos em empresas que atuem em áreas como SaaS (Software as a Service) B2B, Inteligência Artificial, Fintech e Cibersegurança, mas também em Marketplaces e Plataformas digitais B2C.

O investidor principal da Indico, o FEI (Fundo Europeu de Investimento, maior investidor institucional Europeu nesta classe de ativos), vai ter o apoio de mais de 20 investidores institucionais e individuais para alcançar o first closing de 41 dos 46 milhões de euros comprometidos neste primeiro fundo (o fundo tem agora mais 12 meses para continuar a angariar capital). Deste grupo de investidores fazem parte a IFD (Instituição Financeira de Desenvolvimento) através do Portugal Tech que com este investimento formalizou a sua primeira operação, a Draper Esprit (um dos maiores fundos de Venture Capital mundiais que conta com investimentos como a Revolut), fundos de pensões, instituições de ensino e investigação, entidades gestoras de fortunas, empresários, gestores e empreendedores de tecnologia locais e internacionais.

Este fundo irá investir entre 150 mil e cinco milhões de euros por empresa durante o seu período de vida de 10 anos. As empresas alvo do portefólio do fundo ambicionam tornar-se líderes globais na sua categoria. Os primeiros investimentos da Indico já foram concluídos e serão anunciados em breve.

Stephan Morais, Managing General Partner da Indico, afirmou que “este é um marco para o ecossistema português; vamos continuar a apoiar as startups tecnológicas portuguesas mais promissoras, mas agora com uma plataforma de investimento estável, maior e independente, suportada por uma base de investidores global e diversificada”.

Ricardo Torgal, General Partner da Indico referiu que as “Venture Capital e startups não são uma moda, é uma atividade profissional que visa construir um portfolio diversificado e estar presente quando as empresas precisam de ajuda para crescer e atingir uma nova fase”.

Por sua vez, Cristina Fonseca, Venture Partner da Indico, destaca que tem “apoiado muitas empresas ao longo dos últimos anos como mentora e business angel, por isso juntar-me à melhor equipa de investimento do mercado foi um passo muito óbvio, até para poder ampliar o meu impacto no ecossistema. É nesta fase inicial que ter apoio de pessoas experientes e acesso a uma rede global pode ser o fator decisivo para o sucesso”.

O presidente executivo do FEI, Pier Luigi Gilibert, mostra-se satisfeito sublinhando que “temos o prazer de fazer uma parceria com a Indico Capital Partners, com uma equipa que cria o seu primeiro fundo institucional e independente para encontrar e desenvolver boas oportunidades de investimento. No futuro, iremos continuar a focar-nos em investimentos semelhantes tanto em Portugal como em toda a UE, para permitir que a próxima geração de empreendedores se desenvolva”.

Ler mais
Relacionadas

Cuatrecasas apoia Indico Capital Partners na criação do fundo de 46 milhões de euros

A Cuatrecasas, Gonçalves Pereira prestou assessoria jurídica à Indico Capital Partners no lançamento do seu primeiro fundo de investimento em capital risco, com mais de 46 milhões de euros – comprometidos por investidores de oito países diferentes –, para investir em startups tecnológicas.
Recomendadas

Governo avança com lei que permite aos bancos contabilizar como custo fiscal as novas imparidades

“A presente alteração visa sanar a divergência entre os sistemas contabilísticos e fiscais no que respeita ao tratamento de perdas por imparidades associadas a operações de crédito. Prevêem-se ainda regras disciplinadoras para as perdas por imparidade registadas nos períodos de tributação com início anterior a 1 de janeiro de 2019, e ainda não aceites fiscalmente”, diz o último comunicado do Conselho de Ministros

BPI vence Prémio Cinco Estrelas na categoria de Banca Digital

O BPI é líder na penetração do homebanking, com quase metade dos seus clientes particulares a serem utilizadores deste canal. O mesmo acontece no caso dos clientes empresariais, em que 84,5% usam os canais digitais do Banco. Isto segundo o estudo BASEF Banca relativo ao período de fevereiro a agosto de 2018.

Fever vai investir cinco milhões em co-organização de eventos em Portugal

A ronda de financiamento contou também com a participação dos já investidores Accel Partners e 14W Ventures, além da Portugal Ventures e da Caixa Capital.
Comentários