PremiumIndústria automóvel e seguros na frente para os desafios operacionais

Estudo da Accenture aponta indústria automóvel, banca e seguros como as áreas com maior capacidade para adaptar e transformar as suas operações para adotar tecnologias e responder a desafios operacionais futuros. Saúde e Média terão mais dificuldades.

As empresas estão em diferentes níveis de maturidade operacional, independentemente do sector em que atuam. Mas só as organizações cujas operações estiverem munidas de soluções operacionais inteligentes – ou seja, processos assegurados por novas tecnologias –, serão mais resilientes perante a incerteza e estarão um passo à frente para alavancar a sua eficácia operacional e aumentar ganhos, segundo o estudo “Fast Track to Future-Ready Performance” da Accenture.

Ora, a indústria automóvel, a banca e as seguradoras partem em vantagem, segundo a análise que procurou perceber como é que as organizações podem transformar a sua performance para estar melhor preparadas para o futuro. A chave estará em tornar as empresas “mais ágeis”, através da adoção de novas tecnologias. O estudo aponta que as empresas que adotam modelos de operações inteligentes aumentam a sua rentabilidade em 6,4%.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

KPMG sugere reformas no futebol para evitar novas tentativas de Superligas

O FC Porto de 2004 é mencionado como um exemplo da falta de competitividade das ligas periféricas, tendo sido o único clube fora dos ‘Big 5’ a vencer a competição nos últimos 20 anos. Para melhorar esta situação, a consultora sugere reformas ao nível do fair-play financeiro, da calendarização e do modelo de governança do futebol europeu.

“Falar Direito”. “Guarda, Aveiro e Viana do Castelo são cidades escolhidas pelos nómadas digitais”

“Os nómadas digitais procuram sempre cidades onde haja partilha de conhecimento pelo que Lisboa e Porto acabam por ser cidades muito escolhidas. Começámos a assistir à existência de nómadas digitais noutras cidades fora desses polos urbanos”, destacou o advogado Pedro Antunes no programa da JE TV.

Morais Leitão, DLA Piper e Uría Menéndez assessoram aumento de capital da EDP Renováveis de 1,5 mil milhões de euros

Já a equipa de Madrid da King & Wood Mallesons prestou assessoria jurídica tanto à EDP como à EDP Renováveis em aspetos de direito espanhol.
Comentários