Indústria do cimento debate descarbonização em conferência esta segunda-feira no CCB

“Iremos dar espaço a especialistas numa perspetiva transversal – da arquitetura, da engenharia, da banca de investimento e, como é óbvio, da própria indústria nacional”, é assim que Gonçalo Salazar Leite resume a conferência que a ATIC irá promover esta segunda-feira, dia 3 de junho, entre as 8h30m e as 11 horas, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

O lema desta iniciativa é ‘Desafios à Sustentabilidade dos Setores Económicos Portugueses: Descarbonização da Indústria, Smart Cities e Construção’. A sessão de abertura tema presença confirmada de Pedro Siza Vieira, ministro Adjunto e da Economia. O primeiro painel de debate, sobre ‘Descarbonização e Economia – A Competitividade da Indústria’, contará com a participação de Nuno Lacasta, presidente da APA – Agência Portuguesa do Ambiente; Ricardo Bayão Horta, professor emérito da Universidade de Lisboa, professor catedrático jubilado do IST – Instituto Superior Técnico e ex-presidente da Cimpor; João de Mello, presidente do conselho de administração da Bondalti; e Paulo Martins, membro da comissão executiva do Haitong Bank, sendo moderado por Filipe Alves, diretor do Jornal Económico.

Às dez horas, Carmen Andrade, professora e investigadora do Instituto de Ciencias de la Construcción Eduardo Torroja, irá apresentar um estudo sobre ‘Absorção de CO2 por edifícios em betão’. O segundo painel, a partir das 10h45m, sobre o tema ‘Resiliência e Sustentabilidade das Cidades – Smart Cities’, irá contar com a participação de Carlos Mineiro Aires, Bastonário da Ordem dos Engenheiros; Fernando Santo, administrador executivo do Montepio Gestão de Ativos Imobiliários; Manuel Reis Campos, presidente da CPCI – Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário; e João Pardal Monteiro, antigo presidente da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, com a moderação a cargo de Pedro Pinto, subdiretor de informação da TVI.

A sessão de encerramento desta conferência será assumida por Luís Fernandes, presidente do conselho executivo da ATIC e CEO da Cimpor Portugal, e por Nuno Lacasta, presidente da APA.

Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

“Queremos estar na linha da frente para relançar a economia nacional”, assegura vice-presidente da IP

Segundo os dados mais recentes fornecidos pela gestora da rede ferroviária nacional ao Jornal Económico, 63% das obras previstas no pano Ferrovia 2020 estão em andamento ou já foram finalizadas, um aumento face aos 52% neste estado que se verificavam em fevereiro deste ano. Estão mais de 800 milhões de euros em obra.

CGTP considera que apoios às empresas e famílias negligenciam “questões essenciais”

“A procura interna e o consumo das famílias, não só no atual período, como na fase que se vai seguir, serão determinantes para relançar a economia, promover emprego e assegurar que os bens e serviços das empresas são vendidos”, sustenta a intersindical.
Comentários