Iniciativa Liberal antevê “tempestade a aproximar-se” na economia nacional

O deputado único do Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, acusa o Governo de ser um “timoneiro de óculos cor de rosa” e não tomar pedidas mais liberais numa altura em que a economia tem crescido menos e a produção industrial e criação de empresas tem vindo a cair.

Cristina Bernardo

O deputado único do Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, referiu esta terça-feira que antevê uma “tempestade a aproximar-se” na economia nacional. João Cotrim Figueiredo acusa o Governo de ser um “timoneiro de óculos cor de rosa” e não tomar pedidas mais liberais numa altura em que a economia tem crescido menos e a produção industrial e criação de empresas tem vindo a cair.

“Somos o país que menos cresce entre os amigos da coesão. Fomos o país que cresceu menos em 2018, em 2019 e preparamo-nos para ser o país que menos cresce em 2020 e 2021. A queda sustentada do desemprego cessou e ler o boletim do INE de dezembro é como ver uma tempestade a aproximar-se”, afirmou João Cotrim Figueiredo, no primeiro debate quinzenal deste ano.

A par disso, João Cotrim Figueiredo nota que o “índice de produção industrial está a cair, índice de criação de empresas e olhamos para os serviços públicos e é melhor nem falar”, sobretudo no que toca ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), cuja qualidade tem vindo a “degradar-se”.

“Temos um timoneiro que não só tem uns óculos cor de rosa e como não sabe muito bem o que fazer. As ex-namoradas da ‘geringonça’ já nem no dia de São Valentim lhe ligam, vai perder o ministro [Mário] Centeno que toda a gente pensa que é o responsável pelas contas certas e lidera um Governo que já nasceu gordo e anafado e que se é preciso içar uma vela mostra um cansaço de morte”, sublinhou.

João Cotrim Figueiredo insta, por isso, o Governo a adotar medidas mais liberais para acabar com a asfixia às empresas e à economia nacional.

Em resposta ao deputado único, o primeiro-ministro, António Costa, disse que todas as alterantivas são válidas, mas que o Programa do Governo já está definido e não passa pelo liberalismo. “Um dia que os portugueses queiram mudar de Governo podem olhar para si como uma alternativa contrária a este Governo. Até lá, vamos prosseguir a nossa política”, disse.

Ler mais
Recomendadas

Executivo ultima propostas para apoiar os media, mas falta consenso no setor

Media vão receber apoios estatais para enfrentar crise gerada pela pandemia da Covid-19. Governo anuncia apoios “em breve”.

Bloco de Esquerda pergunta ao Governo se vai impedir distribuição de dividendos da Galp

O Bloco defende que a distribuição de dividendos pela Galp deve ser travada pelo Governo e que o dinheiro deve servir para ajudar a empresa a retomar a sua produção nas refinarias de Sines e Matosinhos depois do fim da crise provocada pela Covid-19.

Reforma antecipada sem penalização em estudo para funcionários da TAP

Pacote de resgate do setor de aviação vai incluir ainda isenções de taxas, o diferimento da TSU e de impostos, e empréstimos com aval do Estado.
Comentários