Instituto do Vinho do Porto autoriza uso da marca ‘Portonic’

O uso da marca depende de prévia autorização pelo IVDP, designadamente da rotulagem da embalagem e da aprovação da bebida, adianta um comunicado desta entidade, sendo que essa bebida pode ser apresentada em garrafa, lata ou outros tipos de embalagem, com diferentes capacidades, a aprovar pelo IVDP.

Há garrafas de vinho do Porto e outras bebidas alcoólicas que podem chegar a centenas ou milhares de euros.

O IVDP – Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto autorizou o uso da marca ‘Portonic’ nos termos indicados em regulamento próprio, com vista à garantia da proteção da denominação de origem Porto.

“O uso da marca depende de prévia autorização pelo IVDP, designadamente da rotulagem da embalagem e da aprovação da bebida”, adianta um comunicado desta entidade, sendo que essa bebida “pode ser apresentada em garrafa, lata ou outros tipos de embalagem, com diferentes capacidades, a aprovar pelo IVDP”.

De acordo com esse comunicado, “a rotulagem aposta na embalagem tem de ser previamente aprovada pelo IVDP, IP, limitando-se essa aprovação às suas competências, designadamente de proteção da marca em causa, da imagem e do prestígio da denominação de origem Porto, bem como da qualidade e características da bebida que ostenta a marca e qualquer informação enganosa ou suscetível de gerar confusão no consumidor”.

“A bebida, estando pronta a ser introduzida no mercado, terá de ser aprovada pelo IVDP, implicando uma análise organolética e físico-química e terá de ser inteiramente embalada no interior da Região Demarcada do Douro ou do Entreposto de Vila Nova de Gaia”, esclarece o referido comunicado.

Segundo Gilberto Igrejas, presidente do IVDP, “esta autorização visa criar novas formas de consumo que permitam conquistar relevância junto do público jovem, através de novas experiências associadas ao convívio e aos bons momentos da vida”.

­O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I. P. (IVDP) é um instituto público, integrado na administração indireta do Estado, cabendo-lhe a certificação das denominações de origem Douro e Porto e indicação geográfica Duriense e, no decurso desta capacidade para a qual se encontra acreditado nacional e internacionalmente, o seu controlo, a sua proteção e defesa, assim como a promoção, no âmbito nacional e internacional.

O IVDP surgiu com a organização institucional adotada em 2003 em que a gestão das denominações de origem Porto e Douro e da indicação geográfica Duriense foi atribuída a único organismo de natureza pública, um instituto público de natureza interprofissional.

Recomendadas

Ana Gomes vai denunciar a Bruxelas eventuais irregularidades na atribuição de fundos à agricultura

A ex-eurodeputada socialista Ana Gomes disse hoje que vai denunciar à Comissão Europeia a existência de irregularidades na atribuição de fundos de apoio à agricultura, situação que terá “destruído a vida” de alguns profissionais, como o agricultor Luís Dias.

Cooperativa Agrícola de Felgueiras distribui parte dos lucros por produtores e restaurantes

Uma das maiores cooperativas agrícolas do país, que faturou 10 milhões de euros em 2020, apesar da pandemia de covid-19 e do impacto que teve nos primeiros meses do ano, registou um lucro de 600 mil euros, impulsionado pelas exportações. Agora está a apoiar a economia de Felgueiras.

8ª edição do concurso Vinhos de Portugal decide esta sexta-feira os vencedores entre mais de 1.400 propostas

Na noite desta sexta-feira ficarão a ser conhecidos os melhores vinhos nacionais do último ano.
Comentários