Instituto Superior de Engenharia de Coimbra acolhe laboratório da Altice

O laboratório AlticeLabs@ISEC abre na sexta-feira, arrancando de imediato com sete projetos tecnológicos que irão juntar investigadores e docentes daquele estabelecimento de ensino superior e engenheiros especializados da Altice Labs, cujo centro de inovação está sediado em Aveiro.

O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) vai acolher um laboratório de inovação e desenvolvimento da Altice Portugal, no qual vão ser desenvolvidos sete projetos tecnológicos na área da comunicação e plataformas ‘wif-fi’.

“É um projeto importantíssimo, que, no fundo, concretiza uma ligação efetiva do ensino ao mundo empresarial”, disse à agência Lusa o presidente do ISEC, Mário Velindro, mostrando-se satisfeito por conseguir alcançar uma das suas “metas” para a instituição.

Com este laboratório, “o ISEC passa a ter uma ligação forte a uma empresa de referência muito inovadora, onde a sofisticação tecnológica é o fator crítico da sua competitividade”, acrescenta.

O laboratório AlticeLabs@ISEC abre na sexta-feira, arrancando de imediato com sete projetos tecnológicos que irão juntar investigadores e docentes daquele estabelecimento de ensino superior e engenheiros especializados da Altice Labs, cujo centro de inovação está sediado em Aveiro.

Os projetos assentam na investigação e desenvolvimento das mais sofisticadas tecnologias de comunicação, TV, net e voz, desde a monitorização e gestão de redes até ao desenvolvimento de um suporte que “para permitir a independência da SIGO do Sistema de Gestão de Base de Dados, entre outros”.

“É um orgulho para toda a nossa comunidade académica ver reconhecida a investigação produzida no ISEC por parte da Altice, um dos maiores gigantes de telecomunicações do mundo e uma das mais inovadoras unidades empresariais portuguesas”, afirma Mário Velindro, salientando que a empresa proprietária da MEO “viu capacidade e competência” naquele estabelecimento de ensino.

O presidente daquela instituição académica salienta que a parceria vai “permitir uma investigação mais interativa e, com isso, desenvolver produtos mais competitivos através da transmissão de conhecimento entre investigadores e professores do ISEC e engenheiros altamente especializados da Altice”.

“É uma vantagem muito grande para os nossos alunos, que vão trabalhar em projetos concretos”, frisou o responsável, salientando que o laboratório, com capacidade para quase duas dezenas de estudantes em simultâneo, está aberto também a alunos da Universidade de Coimbra.

O ISEC “está totalmente empenhado em colaborar com parceiros industriais, transmitir conhecimento à sociedade e ajudar as empresas a tornarem-se mais competitivas no mercado global”.

Mário Velindro realça que a Altice Labs tem levado inovação “‘made in’ Portugal” a todo o mundo, com clientes em mais de 60 países, tendo sido eleita, em 2018, pela quinta vez, como a melhor empresa no mercado de tecnologia, média e telecomunicações nos “Prémios 500 Maiores e Melhores Empresas” da Revista Exame e do Bankinter.

Em apenas dois anos, este vai ser o terceiro laboratório de investigação e desenvolvimento montado pelo ISEC com empresas suas parceiras, depois da Critical Software e da PRIO.

Com cerca de 700 profissionais altamente qualificados no seu centro de inovação em Aveiro, a Altice Labs trabalha na investigação e desenvolvimento de soluções avançadas de telecomunicações e de sistemas de informação.

O laboratório AlticeLabs@ISEC é inaugurado na sexta-feira, às 10:30, com a presença de Alexandre Fonseca, CEO da Altice, e Alcino Lavrador, diretor-geral do Laboratório da Altice Labs.

Ler mais
Recomendadas

Luís Filipe Vieira recandidata-se à presidência do SL Benfica

O dirigente máximo dos ‘encarnados’ fez a revelação na reunião dos órgãos sociais que teve lugar esta terça-feira e assumiu-se como candidato à presidência do clube. Caso seja reeleito, poderá manter-se à frente das ‘águias’ até outubro de 2024.

EDP: Despacho de juiz alude a troca de favores entre Mexia e Manuel Pinho

Segundo o MP, foi também acordado, que da parte do ministro haveria a concessão de benefícios indevidos à EDP, através do exercício das suas funções públicas, tendo como contrapartida o apoio da EDP à sua carreira profissional e académica quando saísse do Governo.

CIP apela à aprovação do plano de recuperação: “Previsões de Bruxelas são um novo sinal vermelho”

A Confederação Empresarial de Portugal defende ainda a “rápida” intervenção do Governo português, que passa pela criação de uma ‘bazuca’ nacional’ “que faça mesmo a diferença”.
Comentários