Intermarché investe seis milhões em nova marca própria em Portugal

De acordo com esta cadeia de distribuição, até ao fim de 2019 serão mil o número de referências alteradas para a nova marca, sendo que subirão para dois mil em 2020 e três mil no ano seguinte.

O grupo de distribuição francês Intermarché vai investir cerca de seis milhões de euros no lançamento na rede de lojas em Portugal de uma marca própria, a ‘PorSi’.

Segundo os responbsáveis do grupo de distribuição, esta marca ‘PorSi’ deverá chegar a um total de mil referências de produtos, dos quais 50% são de origem nacional, prevendo-se que a curto prazo atinjam uma quota de 70%

“O Intermarché acaba de criar uma nova marca exclusiva das suas lojas, ‘PorSi’. A aposta da insígnia na nova marca traduz-se num investimento de seis milhões de euros, englobando mais de mil referências de produtos, que vão da higiene e limpeza ao alimentar, todos eles agregados sob uma única marca: ‘PorSi'”, destaca um comunicado do grupo.

O mesmo documento assinala que o grupo, com uma presença de quase três décadas em Portugal, garante “(…) a melhor relação qualidade/preço” com esta marca própria PorSi, que “vem reforçar e valorizar a oferta do portefólio da insígnia sob uma identidade comum”.

“A nova marca reflete ainda a aposta da insígnia na inovação e na sustentabilidade, valores impressos no ADN do Intermarché e agora transpostos para a sua marca própria. Com este projecto, o Intemarché inaugura uma nova dinâmica, com vista a consolidar um maior reconhecimento por parte dos clientes”, sublinha o referido comunicado.

Martinho Lopes, administrador do Intermarché explica que “o principal objetivo foi criar uma marca diferenciadora, para o dia a dia dos consumidores”.

“‘PorSi’ inscreve a garantia do melhor preço na oferta de produtos do Intermarché em Portugal, algo que até hoje estava disperso por diferentes marcas. A nova marca será maioritariamente produzida em Portugal. Para já, 50% terá origem nacional, mas brevemente o número de referências da marca vão aumentar e 70% da produção terá origem no nosso país. Produtos sustentáveis e únicos no mercado vão fazer parte da oferta de ‘PorSi'”, garante este responsável.

“A opção de um nome ao invés da chancela da empresa está relacionada com os valores da insígnia e com o facto de querermos que esta espelhe a nossa missão: confiança, proximidade e qualidade ao melhor preço”, defende Martinho Lopes.

De acordo com esta cadeia de distribuição, até ao fim de 2019 serão mil o número de referências alteradas para a nova marca, sendo que subirão para dois mil em 2020 e três mil no ano seguinte.

“‘PorSi’ apresenta-se ao mercado com soluções transversais a diferentes categorias, que vão desde os produtos alimentares, com uma oferta que cobre praticamente todas as gamas, passando pelos produtos de limpeza e aqueles dedicados aos animais. ‘PorSi’ vem reforçar a oferta do Intermarché com soluções inovadoras, equilibradas e sustentáveis que respondem às necessidades dos consumidores”, assegura esta nota informativa do grupo francês de distribuição.

Ler mais

Recomendadas

Portugueses recorrem cada vez mais ao crédito. 635 milhões em setembro

Os portugueses recorreram mais ao crédito no mês de setembro num total de 635 milhões de créditos contraídos. De acordo com uma nota publicada pelo Banco de Portugal esta sexta-feira, 15 de novembro, relativa à evolução dos novos créditos aos consumidores, os portugueses pediram um total de 295 milhões de euros em crédito pessoal, num […]
marcelo_rebelo_sousa_legislativas

Marcelo considera aumento do salário mínimo “razoável” e promulga hoje o diploma

O Presidente da República vai promulgar hoje o diploma que estabelece um aumento do salário mínimo nacional para 635 euros em 2020, que considera “uma solução razoável, a pensar na economia e na sociedade portuguesa”.

Exclusivo: Farfetch com ‘breakeven’ em 2021 é “cenário perfeitamente realista”, diz José Neves

Em entrevista ao JE, o CEO diz que a empresa ainda não tem ‘guidance’ oficial, mas vê como correta a estimativa dos analistas sobre o ‘breakeven’ ao nível do EBITDA daqui a dois anos. A melhoria da margem no terceiro trimestre mostra o caminho a seguir, diz, mostrando confiança numa subida das ações. Cotação do título dispara 33% na abertura em Wall Street.
Comentários