Investimento na reabilitação urbana em Lisboa caiu 12% em 2019

O investimento total na reabilitação urbana fixou-se nos 5.200 milhões de euros correspondentes a cerca de 10.720 transações.

Em 2019, o investimento imobiliário na Área de Reabilitação Urbana (ARU) de Lisboa registou uma quebra de 12% face ao ano anterior. Esta atividade teve também um decréscimo de 18% no número de transações, segundo os dados divulgados pela Confidencial Imobiliário (CI) esta segunda-feira, 30 de março.

No total o investimento na ARU de Lisboa foi de 5.200 milhões correspondentes a cerca de 10.720 transações. Esta atividade reflete a transação de todo o tipo de imóveis (desde prédios a frações), incluindo os diversos segmentos (desde residencial a comercial, serviços ou terrenos).

Em 2019 o valor médio por operação foi de cerca de 478 mil euros mais 32 mil euros (7%) do que os 455 mil euros que foram investidos em 2018 por transação.

Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário, considera que “este abrandamento era previsível tendo em conta o pico histórico atingido em 2018, de cerca de 6.000 milhões de euros, e o facto de tal volume consolidar dois anos de crescimentos anuais acima dos 30%. Ou seja, é um efeito natural do atual ciclo. Mas é também já reflexo de alguma retração no investimento decorrente da incerteza que se instalou entre os investidores na sequência das mudanças legais e fiscais anunciadas. Quer isto dizer que, mesmo num momento pré Covid-19, começava já a ser evidente alguma perda de força do mercado”.

O responsável sublinha ainda que “no atual cenário de quebra abrupta e inesperada da procura, poderá ser uma boa oportunidade fazer a reavaliação de tais medidas. Com esta situação de pandemia, as transações pararam e manter-se-ão assim pelo menos durante o tempo em que estiver instalado o Estado de Emergência. Não sabemos de que intervalo de tempo estamos a falar, mas é inevitável que a atividade anual seja afetada face a 2019. Devolver confiança aos investidores pela via já referida pode ser benéfico para amenizar este impacto”.

Recomendadas

Moratórias das rendas prolongadas até setembro

Lei publicada esta sexta-feira em Diário da República, prevê que inquilinos que tenham uma perda superior a 20% dos rendimentos e cuja taxa de esforço ultrapasse os 35% fiquem isentos de pagar as rendas até 1 de setembro.

Unión de Créditos Imobiliários vai gerar 100 milhões de euros em financiamento ecológico com BEI

Este acordo vai permitir à UCI gerar uma carteira de financiamento ecológico em Espanha e Portugal de, pelo menos, 100 milhões de euros.

Avaliação das casas subiu para os 1.111 euros\m2 em abril

Este valor representa uma subida um euro, o equivalente a 0,1% relativamente ao mês de março e um crescimento de 9,5% face ao mesmo mês do ano anterior.
Comentários