Irão nega EUA e diz que não foi o autor do ataque às instalações de petróleo sauditas

O ataque já foi reivindicado pelo grupo Houthi, do Iémen e que é pró-Irão. A Guarda Revolucionária iraniana diz-se pronta para a guerra e que as bases norte-americanas e porta-aviões estão a dois mil quilómetros de distância.

O Irão negou este domingo as acusações norte-americanas de que estaria por trás do ataque às instalações petrolíferas sauditas e avisou as bases e os porta-aviões norte-americanos presentes na região, noticia a “Agência Reuters”.

O ataque já foi reivindicado pelo grupo Houthi, do Iémen e que é pró-Irão, mas o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, acusou o Irão.

O porta-voz dos Negócios Estrangeiros do Irão, Abbas Mousavi, disse que as acusações norte-americanas são “infundadas”. Um comandante da Guarda Revolucionária iraniana avisou que a República Islâmica está pronta para a guerra.

Outro comandante revelou ainda que as bases e os porta-aviões norte-americanos se encontram a dois mil quilómetros do Irão e que estão no perímetro dos mísseis iranianos.

No sábado, drones atacaram instalações petrolíferas sauditas, incluindo a segunda maior refinaria do mundo, da Saudi Aramco, a empresa petrolífera estatal da Arábia Saudita. O ataque prejudicou 50% da produção de petróleo da Arábia Saudita, que é o maior exportador de “ouro negro” do mundo.

Horas após o ataque, a Saudi Aramco disse que o ataque cortou a produção em 5,7 milhões de barris de petróleo por dia e não deu um prazo para repor a produção. No entanto, uma fonte revelou àquela agência noticiosa que a reposição da normalidade nas instalações afetadas poderá demorar semanas.

Os analistas de mercado antecipam que o barril de petróleo possa subir até aos 100 dólares se o reinado saudita não repor a produção.

Ler mais
Relacionadas

Tem carro a gasóleo? Vem aí novo aumento na próxima semana

Já a gasolina vai sofrer uma descida pela segunda semana consecutiva.

À procura de petróleo. Trump abre área protegida no Ártico para perfurar

A Liga para a proteção da vida selvagem no Alasca garantiu que a notícia não é surpresa para ninguém mas que “a administração escolheu a alternativa mais agressiva de leasing, sem fingir que é para proteção ou restrição”.
Recomendadas
Steve King com Donald Trump

Republicanos livram-se do rosto da supremacia branca em Washington

Congressista Steve King foi derrotado nas primárias republicanas no círculo do estado do Iowa que representa desde 2002. Perda de influência na Câmara dos Representantes após afirmações polémicas dita afastamento do político que ainda se tentou agarrar a um elogio de Donald Trump.

Iémen: o lado esquecido do mundo

ONU pedia 2,4 mil milhões de dólares à conferência de doadores, mas os países envolvidos não conseguiram ir além dos 1,35 mil milhões. A guerra civil e a Covid-19 deixaram 28 milhões de pessoas desesperadas. Entretanto Riade e Teerão prometem não deixar a guerra.

Rede social Snapchat vai deixar de promover mensagens de Donald Trump

A empresa da rede social Snapchat, popular entre os jovens, acusou o Presidente dos EUA de incitar à “violência racial”, anunciando que deixará de promover as mensagens da conta de Donald Trump.
Comentários