IRS: Mais de 644 mil declarações liquidadas e 331 milhões em reembolsos

Entre as declarações de IRS já tratadas incluem-se ainda 190.273 nulas, situação que se verifica quando não há lugar nem a reembolso nem ao pagamento de imposto.

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) processou 396.853 reembolsos de IRS no valor de 331 milhões de euros, segundo o balanço mais recente do Ministério das Finanças sobre a campanha de entrega do IRS, iniciada em 1 de abril.

De acordo com os mesmos dados, o número de declarações liquidadas ascende a 644.554, tendo estas resultado em 396.853 reembolsos e 57.428 em notas de cobrança, no valor de 23 milhões de euros. Tendo por base estes valores, o reembolso médio ronda atualmente os 834 euros.

Entre as declarações de IRS já tratadas incluem-se ainda 190.273 nulas, situação que se verifica quando não há lugar nem a reembolso nem ao pagamento de imposto.

O ritmo de entregas indica que até ao momento, os contribuintes submeteram já pelo Portal das Finanças 2.584.411 declarações, das quais 1.041.516 (40%) correspondem a declarações de IRS automático.

Daquele total, cerca de dois milhões são de pessoas que em 2020 tiveram apenas rendimentos de trabalho dependente e/ou de pensões e que quando a entrega do IRS ainda era dividida por fases, estavam enquadrados na chamada 1ª Fase, que se iniciava mais cedo do que a 2ª Fase.

O prazo para a entrega da declaração anual dos rendimentos auferidos em 2020 iniciou-se em 01 de abril e termina em 30 de junho, sendo que cerca de 3,5 milhões de agregados familiares podem beneficiar do IRS automático, o que torna a entrega mais simples e mais rápida.

De acordo com os prazos previsto na lei, a liquidação do IRS tem de estar concluída em 31 de julho, tendo o imposto de ser pago ou devolvido (via reembolso) até 31 de agosto.

Recomendadas

CIP: dívidas do SNS atingiram os 119,5 milhões de euros em junho

Para o CENS da CIP, estes pagamentos em atraso “são uma das deficiências estruturais do nosso país” e que afeta principalmente o sector da saúde “sendo que a situação é particularmente grave quando a economia se ressente dos efeitos recessivos da Covid-19”. 

FMI mantém projeções de crescimento mundial de 6% para este ano

Fundo Monetário Internacional explica que apesar da previsão global para a economia mundial se manter inalterada existe um fosso entre os países onde a vacinação tem avançado de forma rápida e entre aqueles em que novas vagas de infetados e óbitos pode ameaçar a recuperação.

Crédito às famílias volta a subir em junho

De acordo com o BdP, o ‘stock’ dos empréstimos concedidos pelos bancos aos particulares ascendia no final do passado mês de junho a 122.566,5 milhões de euros, acima dos 122.188,5 milhões de euros do mês anterior e dos 118.979 milhões de euros de junho de 2020.
Comentários