ISEG: Confiança da atividade económica continua abaixo dos níveis de setembro de 2010

Segundo os dados do ISEG, o índice de coniança da atividade económica portuguesa no curto-prazo está abaixo do valor 40 desde o ínicio de 2011, uma trajetória descendente que se intensificou até maio de 2013, em que caiu para o valores abaixo de 30. Desde então, o índice tem vindo a recuperar, tendo atingido um máximo dos últimos seis anos em setembro de 2018, mas ainda longe dos máximos registados em setembro de 2010, altura em que esteve com um valor superior a 40.

Em dezembro de 2019, o índice de confiança do ISEG relativo à evolução da atividade económica portuguesa no curto-prazo manteve-se inalterado face ao registado em novembro, permanecendo com o valor de 34,8. Em termos homólogos, “a variação do índice foi nula”, disse o ISEG em comunicado enviado às redações esta quarta-feira.

Os 16 professores que compõem o painel do ISEG que calculam este índice de confiança foram consensuais relativamente à evolução económica em dezembro do ano passado.

Segundo os dados do ISEG, o índice de coniança da atividade económica portuguesa no curto-prazo está abaixo do valor 40 desde o ínicio de 2011, uma trajetória descendente que se intensificou até maio de 2013, em que caiu para o valores abaixo de 30. Desde então, o índice tem vindo a recuperar, tendo atingido um máximo dos últimos seis anos em setembro de 2018, mas ainda longe dos máximos registados em setembro de 2010, altura em que esteve com um valor superior a 40.

O índice de confiança do ISEG sobre a evolução no curto-prazo da economia portuguesa é atribuído por um painel composto por 16 professores da instituição de ensino tendo em conta informação quantitativa e qualitativa que inclui os apuramentos de um inquérito realizado mensalmente a todos os docentes da faculdade. O valor do índice pode variar entre zero (confiança mínima) e 100 (confiança máxima).

O valor do índice é obtido por média simples dos valores de zero e 100 atribuídos respetivamente por cada um dos membros do painel.

Relacionadas

ISEG vê meta de crescimento para este ano concretizável

Grupo de análise económica do ISEG está otimista sobre o crescimento para este ano e projeta uma expansão de 1,9% ou 2% no total do ano, justificado pelo desempenho até ao terceiro trimestre.

Economia: Índice de confiança do ISEG estabiliza em outubro

O índice de confiança do ISEG sobre a evolução da economia no curto prazo apurado para outubro fixou-se em 34,8, o mesmo valor do que no mês anterior.

ISEG: Clima de confiança em Portugal volta a cair no terceiro trimestre

De acordo com o relatório do ISEG, a evolução destes indicadores de confiança, em setembro, teve um retrocesso na indústria, na construção e nos serviços, tendo subido no comércio a retalho. De forma geral, verificou-se uma descida lenta em todos os setores desde o início do ano.
Recomendadas

Acionistas da Prisa aprovam venda da TVI à Cofina

Os acionistas da empresa dona da TVI deram luz verde à venda estação de televisão e outros ativos à companhia que detém o Correio da Manhã e a CMTV, entre outros.

IGCP emite 949 milhões de euros em operação de troca para alongar prazos da dívida até 2029

Na primeira operação de troca de dívida deste ano, a instituição presidida por Cristina Casalinho adiou em oito anos o reembolso de Obrigações do Tesouro que venciam em 2021.

Novo Banco pede falência de empresa de Moniz da Maia por dívida de 375 milhões de euros

No pedido de insolvência da empresa, o banco invoca dívidas no total de 16,5 milhões de euros respetivos a um crédito concedido diretamente à empresa de Bernardo Moniz da Maia em 2009 e 358,3 milhões de euros relativos a um contrato de financiamento celebrados entre o BES e a Sogema Investments Limited, segundo o JN.
Comentários