IT People Innovation vai fechar o ano com crescimento de 28% nos efetivos

A empresa de gestão de talento tecnológico cresceu este ano quase um terço, totalizando atualmente 120 colaboradores.

A IT People Innovation, empresa de gestão de talento tecnológico, vai fechar 2018 com uma taxa de crescimento do quadro de pessoal de 28%. O grupo está presente em Lisboa, Covilhã e Porto, onde chegou recentemente, e no Peru, país da América Latina onde se internacionalizou.

“Neste ano que agora termina, o nosso foco estratégico foi a retenção do nosso talento”, explica Rute Santos, head of operations da IT People Innovation. “A par de outras estratégias que já tínhamos implementadas, estamos a consolidar os nossos processos de acompanhamento e desenvolvimento de RH, sendo que a nossa aposta passa por fomentar um ambiente propício ao equilíbrio físico e emocional, que se reflete na produtividade profissional e bem-estar pessoal”, acrescenta.

O IT People Group, fundado em 2008, agrega três empresas: IT People Innovation, a mais antiga, especializada em contratação e alocação de talentos de TI, desenvolvimento de soluções em modelo nearshore e gestão de talento tecnológico, a NextReality, centrada no desenvolvimento de soluções de realidade aumentada e a BigAR, especializada na criação de Apps mobile de Realidade Aumentada para o nicho das TCG (Trading Card Games), através de uma tecnologia de reconhecimento própria.

Recomendadas

CEO portugueses acreditam que inteligência artificial vai criar mais empregos do que destruir

O estudo “Global CEO Outlook”, elaborado pela consultora KPMG, concluiu também que os líderes empresariais portugueses (92% dos inquiridos) estão mais otimistas em relação ao crescimento da economia global do que os seus congéneres mundiais (78%).

Já estão abertas as candidaturas para a 3ª edição do Free Electrons

O programa Free Electrons pretende encontrar soluções nas áreas da mobilidade, energias limpas, redes inteligentes e digitalização.

‘Hacker’ Rui Pinto suspeito de espiar emails do Governo

De acordo com as informações recolhidas pelo “Jornal de Notícias”, o pirata informático português é um dos suspeitos de ter tentado aceder a mensagens do Executivo entre 2016 e 2017.
Comentários