IVA. Patrões defendem redução da taxa intermédia para 10% durante o ano de 2022

Esta é uma das propostas apresentadas hoje pelo CNCP, conselho que agrega cinco associações patronais: CIP, CAP, CTP, CCP e CPCI.

O Conselho Nacional das Confederações Patronais (CNCP) defende a redução da taxa intermédia do IVA de 13% para 10% durante o ano de 2022.

Esta é uma das propostas apresentadas pelo conselho que agrega cinco associações patronais: CIP, CAP, CTP, CCP e CPCI – que apresentaram hoje as suas propostas no âmbito do Orçamento do Estado para 2022.

Ao mesmo tempo, CNCP defende a eliminação da restrição de aplicação da taxa intermédia a bebidas alcoólicas, refrigerantes, sumos, nectáres e águas gaseificadas ou adicionadas de gás carbónico ou outras substâncias, quando integradas numa prestação de serviços de alimentação e bebidas.

“A política fiscal deve favorecer o crescimento do tecido produtivo nacional”, disse hoje Vieira Lopes, líder da CCP, e apresentou hoje as medidas propostas pela CNCP em Lisboa.

“É uma medida simples, exequível e que tem custos perfeitamente suportáveis”, acrescentou o responsável.

Recomendadas

DGERT. Despedimentos coletivos comunicados até agosto caem para 248

O número de despedimentos coletivos comunicados até agosto caiu para 248, perto de metade do registado no mesmo período do ano anterior, quando se verificaram 455 processos, segundo a Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT).

Presidência do Conselho de Ministros e Inspeção-Geral de Finanças assinam acordo para colaboração entre entidades

Em comunicado a presidência do Conselho de Ministros sublinha que a assinatura do protocolo “visa estabelecer a colaboração e articulação entre as entidades no quadro da alteração do regime de fiscalização das fundações privadas e do novo regime de fiscalização”.

Turismo: Siza anuncia nova linha de 150 milhões e apoio a fundo perdido de 15 mil euros por empresa

“Vamos lançar, nas próximas semanas, uma nova linha de crédito de apoio à tesouraria” das empresas do setor turístico, disse o ministro da Economia. Além disso, será lançado nos próximos dias o programa “Adaptar Turismo”, que funcionará como “um incentivo financeiro a fundo perdido aos investimentos no sector, num montante de até 15 mil euros por empresa”.
Comentários