Já vai poder rastrear equipamentos elétricos e eletrónicos em fim de vida

Hoje é o Dia Internacional dos Resíduos Elétricos. A medida prevê a colocação de dispositivos de localização nalguns equipamentos elétricos e eletrónicos que chegam ao seu fim de vida, sendo esses resíduos reencaminhados para os diversos circuitos que existem atualmente para a sua recolha e monitorizada a sua gestão.

Computadores velhos

Para melhor fazer o tracking dos equipamentos elétricos e eletrónicos que chegam ao seu fim de vida, as três entidades gestoras dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE), o Electrão, a ERP Portugal e a E-cycle que apresentaram um projeto inovador que pretende, com recurso ao GPS, conhecer melhor o destino que é dados aos REEE. Esta iniciativa conta com o apoio da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e da Direcção-Geral das Atividades Económicas.

A medida prevê a colocação de dispositivos de localização nalguns equipamentos elétricos e eletrónicos que chegam ao seu fim de vida, sendo esses resíduos reencaminhados para os diversos circuitos que existem atualmente para a sua recolha e monitorizada a sua gestão. Desta forma, será possível saber qual o destino efetivo que acaba por ser dado a esses REEE e assim poderem ser identificadas eventuais situações de desvio e encaminhamento para operações de tratamento ilegais.

“O objetivo deste projeto é monitorizar o percurso dos equipamentos elétricos usados, a partir do momento que são colocados nos canais de recolha, identificando eventuais desvios para o mercado paralelo de forma a facilitar a realização de ações de fiscalização”, revela a nota de imprensa divulgada pelas entidades, a propósito do Dia Internacional dos Resíduos Elétricos.

Sobre esta medida, a organização ambiental Zero considera-a “muito positiva” uma vez que vai permitir, não só, a identificação das operações ilegais mas também ajudar no controlo dos crimes ambientais na área dos REEE. Além das vantagens que surgem nesta medida em termos de gestão, a Zero relembra que os “REEE contêm na sua composição diversos elementos que são nocivos para a saúde e para o ambiente, pelo que devem ser recolhidos e devidamente tratados”.

A mesma ONG recorda que esta medida poderá mitigar os números baixos de recolha destes resíduos, uma vez que as entidades gestoras, em 2020, apenas recolheram 15,4% dos equipamentos colocados no mercado, quando a meta das suas licenças era de 65%.

Recomendadas

Greenpeace pede à UE que proiba voos de curta distância e os substitua por comboios

A organização ambientalista Greenpeace pediu hoje à União Europeia para proibir voos de curta distância no seu território quando seja possível substituí-los por viagens de comboio com menos de seis horas, para reduzir as emissões de CO2.

Menos de 1% dos fundos de investimento estão alinhados com objetivos climáticos

Os 158 fundos representam apenas 0,5% dos 27 biliões de dólares (23,3 biliões de dólares) investidos.

Nações Unidas alertam para aumento da temperatura do Planeta em quase três graus

O Programa Ambiental das Nações Unidas alerta que faltam oito anos para o fim do período estabelecido no Acordo de Paris: 2030. O novo relatório avisa que os países precisam de tomar uma ação urgente para fazer a temperatura e diminuir drasticamente as emissões de gases de efeito estufa.
Comentários