Já viu o Jogo Económico? De Gedson a Jovane: como potenciar os jovens talentos do futebol português

Nesta edição, debatemos como os clubes podem rentabilizar os jovens talentos do futebol português. João Marcelino, Luís Miguel Henrique e o convidado Luís Cristóvão, analista de futebol, dão a sua opinião sobre este tema.

Nesta edição, os comentadores residentes, o jornalista João Marcelino e o advogado e consultor Luís Miguel Henrique, moderados pelo jornalista José Carlos Lourinho, debateram qual a melhor forma dos clubes potenciarem os jovens talentos do futebol português e como conciliar a garantia de receitas e o proveito desportivo. Para esta edição, contámos com a participação especial de Luís Cristóvão, analista de futebol.

Em 2017, e de acordo com um relatório da FIFA, Portugal foi quem mais lucrou em transferências, com um saldo positivo próximo dos 570 milhões de euros. Este valor representa o triplo do lucro assegurado pelo Brasil, com um valor de € 182,3 milhões de euros.

Em termos de valores recebidos por transferências também surge, no mesmo relatório da FIFA, em lugar destaque: um total de 645,4 milhões de euros.

A FIFA diz ainda que a Premier League é quem mais contribui para este superavit do futebol português. Em 2017, gastou 265 milhões de euros em jogadores oriundos de Portugal.

Recomendadas

“Mantenho o que disse”. Ana Gomes não recua frente à acusação do Benfica

Tanto o clube da Luz como Luís Filipe Vieira vão processar Ana Gomes por calúnias, falsas declarações e difamação.

Já viu o ‘Jogo Económico’? Miguel Oliveira acelera Moto GP em Portugal já em 2022

Jorge Pessanha Viegas, presidente da Federação Internacional de Motociclismo, esteve em estúdio e avaliou oportunidade criada com a presença de Miguel Oliveira entre os melhores pilotos do mundo de Moto GP.

Mais jovem português na FIBA responsável pelo marketing do Mundial da China este ano

Mundial de Basquetebol de 2019 vai realizar-se na China entre 31 de agosto a 15 de setembro. Edgar Gonçalves é o mais jovem português a trabalhar na FIBA e traça ao Jornal Económico quais os desafios de organizar esta competição na China.
Comentários