Jamie’s Italian em Lisboa foge ao cenário de insolvência e permanece aberto

A gerência do restaurante do chef britânico Jaime Oliver, situado na Praça do Príncipe Real, garante que o espaço não será afetado pelo processo de insolvência da cadeia de restaurantes.

A cadeia de restaurantes de Jamie Oliver vai passar a ser gerida pela consultora KPMG, depois de ter sido anunciada, esta terça, feira o início de um processo de insolvência.

Ao todo, serão afetados 25 restaurantes do chef no Reino Unido que poderão pôr em causa 1.300 mil postos de trabalhos. Felizmente, o cenário não será o mesmo para o restaurante do chef que se situa na Praça do Príncipe Real, que abriu portas há pouco mais de um ano.

Num comunicado enviado às redações, a gerência do restaurante assegura que “os recentes acontecimentos dizem respeito exclusivamente a um cenário singular que se vive no Reino Unido”.

O restaurante sublinha que a operação internacional não será afetada por esta tomada de decisão, uma vez que tem conhecido um percurso inverso “de elevado desempenho, crescimento e robustez, prosseguindo com normalidade o seu desenvolvimento”, salientando que a operação em Lisboa tem seguido a mesma tendência.

A causa da insolvência remete para prejuízos registados em 20 milhões de libras no ano passado, resultado de uma quebra de 11% nas vendas, para 101 milhões de libras. No ano passado, a cadeia só escapou à falência depois de uma injeção de dinheiro antecipada no valor de 13 milhões de libras por parte de Oliver. Em janeiro, do mesmo ano, o cozinheiro britânico anunciou o encerramento de 12 dos seus 37 restaurantes italianos no Reino Unido como parte de um plano de resgate, uma medida que afetou 200 postos de trabalho.

 

Ler mais
Relacionadas

Restaurantes de Jamie Oliver declaram insolvência e põem em risco mais de mil postos de trabalho

A consultora KPMG foi chamada para gerir os destinos do grupo, muito fragilizado financeiramente. Estão em risco mais de mil empregos. O famoso chef já reagiu: “Estou profundamente entristecido por este desfecho”.
Recomendadas

35 produtores nacionais de vinho à conquista de Xangai

A delegação portuguesa é a sétima maior no evento e conta com produtores de todas as regiões do país.

Vinhos de Lisboa já exportam 80% da produção

Os produtores da região exportam para mais de 70 mercados, sendo que mais de metade das vendas no exterior são para países fora da União Europeia.

CAP vai explicar impacto do ‘Brexit’ aos empresários agrícolas nacionais

O Reino Unido é o 5º maior mercado para o sector agroflorestal nacional, com as exportações a valerem perto de 575 milhões de euros anuais.
Comentários