Joana Marques Vidal: “Corrupção põe em causa Estado de direito democrático”

A luta contra a corrupção na perspetiva da criminalidade económica e financeira não diz unicamente respeito aos tribunais, defendeu a ex-Procuradora-Geral da República. Assista aqui à transmissão do debate na SEDES cujo tema foi “A corrupção e autonomia do Ministério Público”.

A luta contra a corrupção na perspetiva da criminalidade económica e financeira não diz unicamente respeito aos tribunais, defendeu a ex-Procuradora-Geral da República Joana Marques Vidal, no ciclo de debates “Ao fim de tarde na SEDES com quem sabe,” do qual o Jornal Económico é media partner, e que se realizou esta terça-feira, 2 de julho, em Lisboa, nas instalações da Associação para o Desenvolvimento Económico e Social. Neste  evento, Joana Marques Vidal dedicou a sua intervenção ao tema “A corrupção e autonomia do Ministério Público” num debate conduzido pelo jornalista Luís Rosa.

Relacionadas

Joana Marques Vidal quer estratégia nacional contra a corrupcão

Ex-procuradora-geral da República, que foi à SEDES falar sobre autonomia do Ministério Público, salientou que a corrupção “põe em causa a confiança dos cidadãos nas suas estruturas políticas e por isso põe em causa em democracia”.

Ministra da Justiça: “As instituições da justiça na área criminal funcionam”

Francisca Van Dunem nega interferência do poder político no poder judicial.

Ex-procuradora-geral da República diz que “juízes têm que estar bem assessorados”

Joana Marques Vidal referiu-se a resistências dos juizes em contar com ajuda de especialistas e aos tribunais em que é sempre a mesma pessoa a julgar.
Recomendadas

Margarida Rebelo Pinto: “Mercado dos livros caiu nos últimos dez anos. Foi uma tempestade perfeita”

A escritora Margarida Rebelo Pinto esteve na última edição do programa da JE TV “Mercados em Ação” e abordou vários temas entre os quais a nova forma de consumir literatura, o reagrupamento dos grupos editoriais e de como a não ficção ganhou preponderância nos últimos anos.

“Caso Marega? Há aproveitamento por parte de alguns parasitas”

“Existe sempre um aproveitamento marginal por parte de alguns parasitas da sociedade”, realçou o advogado e consultor Luís Miguel Henrique no “Jogo Económico” ao analisar as reações políticas ao caso Marega.

“Fomentamos a paixão pelos clubes pelo ódio aos rivais”

O ex-futebolista e economista Diogo Luís comentou na última edição do programa “Jogo Económico” o caso Marega e considerou que o que se passou pode ser aproveitado como uma oportunidade para “nos unirmos e pensar no que queremos no nosso futebol”.
Comentários