João Pereira Coutinho já detém 95,3% da SAG

Esta imputação resulta de 10,24% da SGC Investimentos; de 69,13% da IAMC – Investment and Assets Management Consulting; diretamente de através de 14,95%; e 0,71% através da Principal.

A SAG GEST – Soluções Automóvel Globais, SGPS, comunicou ao mercado que são imputáveis a João Manuel de Quevedo Pereira Coutinho, 95,30% dos seus direitos de voto.

Esta imputação resulta de 10,24% da SGC Investimentos; de 69,13% da IAMC – Investment and Assets Management Consulting; diretamente de através de 14,95%; e 0,71% através da Principal.

Foi assim ultrapassado o limite de 90% dos direitos de voto correspondentes ao capital social na Sociedade Visada da OPA (a SAG).

O oferente “firmou inequivocamente, no Prospeto e no Anúncio de Lançamento, que era sua intenção, após o Termo da Oferta, promover a perda da qualidade de sociedade aberta da Sociedade Visada, mais informou que, nesta mesma data, deu entrada na CMVM o correspondente requerimento”.

A empresa deverá ser retirada de bolsa. O empresário tinha lançado uma OPA com a contrapartida de 0,0615 euros por ação e com a condição de obter 90% do capital da sociedade.

João Pereira Coutinho já entregou na CMVM o pedido de perda da qualidade de sociedade aberta da empresa do setor automóvel, revela um comunicado enviado ao regulador nesta quarta-feira.

“Tendo o Oferente afirmado inequivocamente, no Prospeto e no Anúncio de Lançamento, que era sua intenção, após o Termo da Oferta, promover a perda da qualidade de sociedade aberta da Sociedade Visada, mais informou que, nesta mesma data, deu entrada na CMVM o correspondente requerimento”, dá conta o comunicado.

A OPA de João Pereira Coutinho à SAG foi anunciada no passado dia 30 de abril no âmbito da venda da SIVA (que comercializa as marcas Volkswagen, Audi e Skoda em Portugal) à Porsche Holdings (sociedade pertencente ao Grupo VW), pelo montante simbólico de um euro, um processo que deverá estar concluído até 30 de setembro deste ano e que pressupõe a saída da SAG do setor automóvel.

Ler mais
Recomendadas

‘Caso EDP’: empresa confirma que já foi notificada pelo DCIAP para ser constituída arguida

Em comunicado, a energética portuguesa afirmou que “em linha com as notícias divulgadas na imprensa portuguesa no final do dia de ontem, a EDP foi hoje notificada pelo DCIAP de que deverá, nos próximos dias, designar um legal representante que compareça no DCIAP, a fim de ser constituída arguida”.

Nova companhia aérea de Neeleman deverá iniciar voos em 2021

A Breeze Airways, fundada por David Neeleman, cuja saída da TAP foi anunciada recentemente, deverá iniciar os voos em 2021, um lançamento que foi adiado pela pandemia de Covid-19, avançou hoje a Bloomberg.

Salários da CGD aumentaram em 2019 com início de pagamento de bónus

Os salários da administração da CGD cresceram para 3,6 milhões de euros no ano passado, um aumento de 22,5% justificado com o início de um programa de pagamento de remunerações variáveis, que já estava previsto, revelou o banco.
Comentários