PremiumJorge Lopes Costa: “O único recurso capaz de inovar são as pessoas”

Universidade Católica lança formação avançada em empreendedorismo corporativo. Inscrições já estão abertas.

A atração e retenção de talento é um dos maiores desafios das organizações nos dias que correm. Outro é a necessidade de inovar continuamente. Para responder ao duplo desafio que as empresas enfrentam, a Escola de Pós-Graduação e Formação Avançada da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa propõe uma nova formação.

Empreendedorismo Corporativo: Impulsionar a Inovação e o Desenvolvimento de Novos Projetos – o nome pode parecer pomposo, mas visa acima de tudo oferecer ferramentas diferenciadoras aos seus formandos. “A inovação constante é, cada vez mais, uma exigência estratégica e o único recurso capaz de inovar são as pessoas”, salienta ao Jornal Económico José Lopes Costa, que, em conjunto com Nuno Goulart Brandão, faz a coordenação do programa.

O curso arranca a 7 de fevereiro e destina-se preferencialmente a técnicos e quadros médios ou superiores de empresas públicas e privadas, que sejam responsáveis pelo impulsionamento da inovação em empresas. Não é por acaso.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

STOP entrega pré-aviso de greve que abrange professores e auxiliares de todos os níveis de ensino

Sindicato de Todos os Professores diz que “caso seja necessário, está preparado para efetivar uma greve de forma a proceder de acordo com os superiores interesses de todos os que trabalham e estudam”.

FCT distingue trabalhos de investigação que utilizam a informação do Arquivo.pt

Prazo de candidaturas prolonga-se até 4 de maio. Podem concorrer trabalhos de investigação inovadores em qualquer área do conhecimento, da educação, à história, passando pela informática.

Coimbra Business School abraça tecnologia e transmite aulas presenciais em tempo real

As inovações tecnológicas que a escola está a pôr em prática desde março de 2020 não colocam em causa a prioridade que, sempre que possível, deve ser dada ao ensino presencial, diz o presidente, Pedro Costa.
Comentários