Joseph E. Lowery morre aos 98 anos

O reverendo, um veterano líder dos direitos civis que lutou contra a discriminação racial e ajudou Martin Luther King a fundar a Conferência de Liderança Cristã do Sul, morreu esta sexta-feira em casa, em Atlanta.

O reverendo Joseph E. Lowery, um veterano líder dos direitos civis que lutou contra a discriminação racial e ajudou Martin Luther King a fundar a Conferência de Liderança Cristã do Sul, morreu esta sexta-feira, aos 98 anos, informou a família.

Pregador carismático, Lowery liderou a Conferência de Liderança Cristã do Sul (CLCS) por duas décadas – restaurando a estabilidade financeira da organização e pressionando as empresas a não negociar com o regime do apartheid da África do Sul – antes de se reformar, em 1997.

Lowery, considerado o decano dos veteranos dos direitos civis, viveu para comemorar um marco em novembro de 2008 que poucos dos seus colegas do movimento pensaram alguma vez testemunhar: a eleição de um presidente afro-americano.

Numa emocionante comemoração de vitória do presidente eleito Barack Obama em Atlanta, Lowery afirmou: “Os Estados Unidos hoje à noite estão em processo de nascer de novo”.

Defensor precoce e entusiasta de Obama sobre a então oponente democrata Hillary Clinton, Lowery foi responsável pela bênção na posse de Obama.

Em 2009, Obama concedeu a Lowery a Medalha Presidencial da Liberdade, a maior honra civil do país.

Noutro momento de destaque, Lowery foi aplaudido de pé no funeral da viúva de King, Coretta Scott King, em 2006, quando criticou a guerra no Iraque, dizendo: “Pela guerra, biliões a mais, mas não mais pelos pobres”.

O comentário também chamou a atenção do então presidente George Bush e do seu pai, o ex-presidente George H.W. Bush, que estavam sentados atrás do púlpito.

O envolvimento de Lowery nos direitos civis surgiu da sua fé cristã. Frequentemente pregava que a discriminação racial na habitação, emprego e assistência médica estava em desacordo com os valores cristãos fundamentais, como o valor humano e a irmandade entre os homens.

Lowery permaneceu ativo no combate a questões como a guerra, a pobreza e o racismo durante muito tempo depoos de se reformar e sobreviveu a um cancro na próstata e a uma cirurgia na garganta depois de derrotar Jim Crow.

A sua mulher, Evelyn Gibson Lowery, que trabalhou ao lado do marido durante quase 70 anos e atuou como chefe da CLCS / WOMEN, morreu em 2013.

Lowery era pastor da Igreja Metodista de Warren Street em Mobile, Alabama, nos anos 50, quando conheceu King, que então morava em Montgomery, também no Alabama.

As reuniões de Lowery com King, o reverendo Ralph David Abernathy e outros ativistas dos direitos civis levaram à formação do CLCS, em 1957. O grupo tornou-se uma força líder na luta pelos direitos civis dos anos 1960.

Lowery tornou-se presidente do CLCS em 1977, após a renúncia de Abernathy, que tinha assumido o cargo após o assassinato de King, em 1968.

Ele foi preso em 1983, na Carolina do Norte, por protestar contra o despejo de resíduos tóxicos num condado predominantemente negro e, em 1984, em Washington, quando se manifestava contra o apartheid.

Morreu em casa, em Atlanta, de causas naturais não relacionadas com o surto de coronavírus, segundo o comunicado da família.

Ler mais
Recomendadas

PremiumTrump volta à melhor forma com crise racial a somar-se à de saúde

No limite, os confrontos por causa da morte de George Floyd vão fazer com que o presidente consiga provar aos norte-americanos que, como a resposta à pandemia, tudo não é mais que um ‘complot’ dos democratas

Alemanha com mais 407 casos e 33 mortes nas últimas 24 horas

As regiões do país com mais incidência cumulativa de casos são Bavária, Bade-Vurtemberga, Hamburgo e Sarre.

UNICEF avisa que dez milhões de crianças moçambicanas arriscam “pobreza mais extrema”

A declaração faz parte de um conjunto de análises publicadas por aquela agência da ONU entre o Dia da Criança, a 01 de junho, e o Dia da Criança Africana, celebrado a 16 de junho.
Comentários