Jovens portugueses querem criar desafio para encontrar a melhor startup de estudantes universitários na Europa

Tiago Freire de Andrade, porta-voz do BET – Bring Entrepreneurs Together, disse ao Jornal Económico que, no próximo ano, o grupo quer estar presente em mais faculdades portuguesas e, mais tarde, ‘voar’ além- fronteiras.

O projeto de empreendedorismo jovem BET – Bring Entrepreneurs Together, com ADN português, prepara-se para alargar horizontes dentro da Europa. De olhos postos num futuro concurso a nível europeu para encontrar a melhor startup de estudantes universitários do ‘Velho Continente’, o porta-voz do BET contou ao Jornal Económico como tentam alavancar a presença da academia no tecido (micro)empresarial português.

“Criamos eventos para facilitar o início, a ideia. As pessoas têm muitas ideias, mas depois não as conseguem criar. Embora haja muitos players no ecossistema português – e cada vez mais, por causa da Web Summit -, não há quase nenhuns nas universidades, que são parte desse ecossistema”, defendeu Tiago Freire de Andrade, à margem de um evento na sede da Microsoft Portugal.

O grupo, nascido na Católica Lisbon School of Business and Economics há sete anos, auxilia os estudantes universitários que queiram criar novas soluções, desde a ideia à preparação para o investimento, através de uma equipa de mentoring com especialistas de diversas empresas.

Apesar de estar prestes a terminar a licenciatura e a ingressar no mercado laboral, Tiago Andrade admite que, no dia que em deixar o BET, não deixará o empreendedorismo. “Há muitas empresas que se interessam [pelo empreendedorismo], e é nisso que estou a apostar”, confessa. Em declarações ao semanário, reforça a ideia de que é a união de áreas como o Design, a Engenharia e a Gestão que faz criar as melhores startups.

“Temos várias metas para o próximo ano, entre os quais estar presente em mais faculdades com diferentes backgrounds (…). A seguir, queremos ir para fora do país. O nosso objetivo a cinco anos é fazer um European Challenge. Cada cidade ou país criar os seus próprios desafios para encontrar a melhor startup de estudantes universitários e, depois, criar um desafio entre todos”, afirmou. O BET já iniciou contactos com a Universidade Luigi Bocconi, em Milão, para avançar com o ‘desafio europeu’. “A IE Business School, em Madrid, também tem muitas iniciativas e estamos a começar a tentar falar com eles”, acrescentou o mesmo porta-voz.

Atualmente, o projeto tem cerca de 50 colaboradores e está oficialmente presente no Instituto Superior Técnico e na Universidade Católica Portuguesa. No passado sábado, 5 de maio, este grupo de jovens, juntamente com o seu principal patrocinador, o Banco BiG, e os restantes parceiros, entregou 5.000 euros e uma viagem a Silicon Valley à microempresa 99 Orchestra. Composto por quatro desafios – Challenge Startup 1.0​, Challenge Startup 2.0​, Innovation Challenge e Social Entrepreneurship Challenge –, o concurso BET 24, com a duração de 24 horas, deu ainda oportunidade a várias startups de acederem ao crowdfunding.

Ler mais
Recomendadas

Consórcio europeu lança curso online gratuito sobre inovação

O “Co-Innovation Journey for Startups and Corporates” inclui palestras, artigos informativos, questionários, discussões e atividades práticas. A Beta-i representa Portugal nesta iniciativa e criou ainda um ‘podcast’ para os tempos de crise.

Doinn, a startup que sente na pele a queda dos negócios do turismo e limpeza

“Estamos atentos às medidas de apoio anunciadas pelo Governo apesar de, até agora, não termos ficado impressionados com elas. Não nos adianta muito adiar as obrigações como IVA ou TSU para o segundo semestre se os respetivos pagamentos coincidirão com a época baixa”, disse ao Jornal Económico Weronika Figueiredo, cofundadora da empresa.

Startup com sede em Portugal chega à final do Free Electrons

A Tesselo combina a utilização de imagens de satélite e Inteligência Artificial para transmitir informações em tempo real sobre terrenos agrícolas ou infraestruturas.
Comentários