JPP apresenta voto de protesto contra omissão do Governo sobre rescisão da ENM do ferry

O JPP diz que é “notório” a existência de um procedimento deliberado de ocultação, por parte do executivo madeirense, de uma decisão com “consequências negativas” para a economia regional.

Porto do Funchal (foto: APRAM – Portos da Madeira)

O JPP apresentou esta terça-feira um voto de protesto, na Assembleia Legislativa da Madeira, contra a omissão do Governo Regional relativamente à omissão deliberada relativamente à intenção da Empresa de Navegação Madeirense (ENM) de rescindir o contrato que assegurava a ligação marítima, via ferry, entre a Madeira e o Continente.

No voto de protesto do JPP o partido sublinha que é “notório” um procedimento deliberado de ocultação, por parte do executivo madeirense, de uma decisão com “consequências negativas” para a economia regional.

O partido refere ainda que protesta contra a “falta de transparência” do executivo madeirense e pelo desrespeito demonstrado pelo Governo Regional relativamente ao ferry.

No voto de protesto é ainda referido que o Governo Regional fala a duas vozes, quando Miguel Albuquerque, presidente do executivo madeirense, e Pedro Calado, vice-presidente do Governo Regional, dizem que não tiveram conhecimento de uma cartão de rescisão por parte da ENM referente à intenção de rescindir o contrato da ligação ferry, ou que já tinha conhecimento da carta de rescisão a 24 de setembro, respectivamente.

Recomendadas

Funchal apresenta “argumentos fortes” a Boris Johnson

Presidente da Câmara escreveu a PM britânico a sublinhar que a Madeira tomou “todas as medidas necessárias” para garantir aos turistas “férias seguras”, enquanto desfrutam de “clima temperado”.

Lucro do PSD foi de 891 mil euros em 2019

O partido reduziu o passivo em 13%. “A situação de falência técnica foi ultrapassada e os fundos patrimoniais reforçados”, afirma o secretário-geral adjunto, Hugo Carneiro.

Presidente diz que controlo do vírus na Madeira foi “rápido e eficiente”

Marcelo Rebelo de Sousa está este fim de semana no Funchal a conhecer as plataformas para acompanhar, em tempo real, a evolução da doença nos lares e escolas. A visita surge depois de Câmara de Lobos ter sido alvo de uma cerca sanitária.
Comentários