JPP considera que chumbo a audição parlamentar sobre Forte do Ilhéu mostra “atitude antidemocrática” do PSD

O JPP considera que a intervenção que está a ser feita pela APRAM no Forte do Ilhéu é uma “bárbara, desastrosa e inestética betonização artificial” de um monumento icónico da arquitetura militar da Madeira.

O JPP manifestou o seu lamento com o chumbo de uma audição parlamentar sobre a intervenção que está a ser feita pela Administração dos Portos da Madeira (APRAM) no Forte do Ilhéu.

O partido considera que a intervenção que está a ser feita no Forte do Ilhéu, pela APRAM, é um “atentado”, tendo lamentado e repudiado a “atitude antidemocrática” do PSD em chumbar esta audição parlamentar ao secretário regional do Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, que “permanece em silêncio perante este atentado”, e a própria presidente da APRAM dona da obra em causa”.

O JPP reforça que a intervenção é uma “bárbara, desastrosa e inestética betonização artificial” de um monumento icónico da arquitetura militar da Madeira.

O partido vinca que a intervenção apenas tem “servido para adulterar o imóvel, sem o devido acompanhamento técnico pela ética da intervenção patrimonial, aconselhada pelas diretrizes, por exemplo, da Carta de Veneza”.

O JPP lamenta também que não se esteja a verificar um “acompanhamento cuidado”, como aconteceu na intervenção feita pelo Governo Regional no Cais da Ponta do Sol.

Mas, acima de tudo, o JPP lamenta e repudia a atitude antidemocrática do PSD em chumbar esta audição parlamentar ao Secretário Regional do Turismo e Cultura com competências no património classificado, e que permanece em silêncio perante este atentado, e a própria presidente da APRAM – Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira, S. A, dona da obra em causa.

Recomendadas
Pedro Calado

Pedro Calado participa em corrida em prol dos direitos das crianças

O sociólogo e atleta português João Félix já realizou várias corridas este ano por todo o país com o intuito de sensibilizar para os direitos das crianças.

Madeira: Câmara da Ponta do Sol aprova Orçamento para 2022 de 7,5 milhões de euros

Após ser aprovado com maioria em reunião de Câmara, com votos favoráveis do PS e abstenção do PSD, o documento segue agora para votação na Assembleia Municipal, a realizar- se no dia 9 de dezembro. 

Idade da reforma poderá baixar para 66 anos em 2024

Aumento da mortalidade provocado pela pandemia de Covid-19 está a reduzir a esperança média de vida em Portugal, pelo que a idade média da reforma vai baixar para 66 anos e quatro meses em 2023. No ano seguinte, em 2024, deverá baixar ainda mais, para 66 anos, interrompendo uma trajetória de subida que se verificava desde 2014.
Comentários