PremiumJuiz e advogados defendem revisão das custas processuais

“É impensável que tenhamos um sistema legal que não permita às pessoas terem uma noção aproximada das custas de um processo com o qual vão entrar em tribunal”, critica Soares Machado.

«Um advogado e um magistrado entram num bar…», e acabam por concordar, pelo menos, num ponto de vista: tanto o regime da prova pericial como o Regulamento das Custas Processuais deveriam ser revogados. Juízes e profissionais de advocacia juntaram-se pelo quinto ano consecutivo no encontro informal da conferência anual do Círculo de Advogados de Contencioso (CAC), cuja última edição se realizou a 28 de junho, no Estoril.

“Se um cliente pedir uma previsão não lhe conseguimos dizer qual o valor que vai ter de custas. Se antes não era terrivelmente grave, porque o valor não era muito significativo, hoje é, com a dimensão que podem atingir”, explicou o presidente do CAC ao Jornal Económico (JE). “É absolutamente impensável que tenhamos um sistema legal que não permita às pessoas terem uma noção, nem sequer aproximada, do que podem ser as custas de um processo com o qual vão entrar em tribunal. Ou pior ainda: as custas de um processo que não foram eles que puseram, onde se têm de defender”, denuncia José Carlos Soares Machado.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Compra da Tagusgás pela Galp Gás foi assessorada pela Sérvulo e pelo BCP

Galp Gás Natural Distribuição anunciou esta segunda-feira a conclusão do negócio de compra da Tagusgás, empresa de distribuição de gás natural na região Centro do país, por um valor de 32 milhões de euros. A Sérvulo foi o assessor jurídico e o Millennium BCP o assessor financeiro.

PremiumMagistrados criticam “equívocos” salariais

Tal como os juízes conselheiros, os magistrados do Ministério Público também vão poder ganhar mais do que o primeiro-ministro.

CCA integra nova sócia em Fiscal

A advogada Tânia de Almeida Ferreira, ex-consel da Cuatrecasas, passa a ser a coordenadora do departamento de Fiscal do escritório.
Comentários