Juncker antevê situação “extremamente complicada” se parlamento britânico rejeitar acordo para o Brexit

“Se isso acontecer, vamos encontrar-nos numa situação extremamente complicada”, disse o presidente da Comissão Europeia aos jornalistas, no final do primeiro dia da cimeira da União Europeia, em Bruxelas.

O presidente da Comissão Europeia alertou, na quinta-feira, para uma situação “extremamente complicada”, caso o Parlamento britânico rejeite o novo acordo para o ‘Brexit’, entre Bruxelas e Londres.

“Se isso acontecer, vamos encontrar-nos numa situação extremamente complicada”, disse Jean-Claude Juncker aos jornalistas, no final do primeiro dia da cimeira da União Europeia, em Bruxelas.

No mesmo dia, o presidente da Comissão Europeia descartou um novo adiamento da saída do Reino Unido da UE (Brexit), prevista para 31 de outubro, defendendo que perante um acordo reformulado não há argumentos para novas extensões, mesmo que o Parlamento britânico rejeite o texto.

O acordo de saída revisto do Reino Unido da UE foi alcançado na quinta-feira entre a Comissão Europeia e o Governo britânico, e foi aprovado no mesmo dia pelos chefes de Estado e de Governo dos 27.

“O Conselho Europeu endossou este acordo […] Nessa premissa, o Conselho Europeu convida a Comissão, o Parlamento Europeu, e o Conselho a empreenderem os passos necessários para assegurar que o acordo entra em vigor a 01 de novembro de 2019”, declarou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

“A principal alteração é o facto de o primeiro-ministro [Boris] Johnson ter aceitado a existência de controlos alfandegários nos pontos de entrada na Irlanda do Norte. Este compromisso permite-nos evitar controlos entre a Irlanda e a Irlanda do Norte e assegura a integridade do mercado único”, notou.

O acordo tem agora de ser ratificado pelo Parlamento Europeu (PE) e pelo Parlamento britânico.

Ler mais
Recomendadas

EUA vão pagar 1,4 mil milhões de euros para Novavax desenvolver 100 milhões de vacinas da Covid-19

O governo dos EUA decidiu apostar e confiar na Novavax, uma empresa do estado do Maryland que nunca colocou um produto no mercado.

Jair Bolsonaro está infetado com o novo coronavírus

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse esta terça-feira que está infetado com o novo coronavírus, um dia depois de relatar sintomas e realizar um teste num hospital Militar, em Brasília.

Diretora de Saúde de Israel demite-se e denuncia “fracasso” do combate

Siegal Sadetzki, diretora dos serviços públicos do Ministério da Saúde, renunciou ao cargo no dia seguinte ao anúncio do ministro da tutela, Yuli Edelstein, da sua intenção de nomear um responsável para a luta contra a pandemia, que lhe retiraria algumas das suas atuais responsabilidades.
Comentários