Lagarde: BCE estuda emissão de moeda digital por bancos centrais

Com a ex-líder do Fundo Monetário Internacional (FMI) ao leme, o Banco Central Europeu (BCE) prepara-se para ser um “catalisador da mudança”. Christine Lagarde anunciou que o banco central vai estudar “o valor de moedas digitais emitidas por um banco central para os cidadãos europeus”.

A disrupção tecnológica foi, juntamente com a demografia e as alterações climáticas, um dos desafios que levaram Christine Lagarde a anunciar que o BCE vai rever a sua estratégia na audição no Parlamento Europeu, esta segunda-feira.

Com a ex-líder do FMI ao leme, o BCE prepara-se para ser um “catalisador da mudança”. Christine Lagarde anunciou que o banco central vai estudar “o valor de moedas digitais emitidas por um banco central para os cidadãos europeus”.

“Uma moeda digital emitida por um banco central iria permitir aos cidadãos utilizarem diretamente dinheiro de um banco central nas suas transações diárias”, referiu a presidente do BCE.

No entanto, dinheiro digital desse tipo não é isento de riscos. “Por exemplo, esses riscos podem alterar a forma como a política monetária é conduzida e transmitida para a economia real. Também podem ter implicações no funciomento do sistema financeiro mundial e na sua estabilidade”, alertou Christine Lagarde.

“A questão das moedas digitais emitidas por um banco central e o seu melhor design terá de ser melhor analisada”, garantiu a presidente do BCE.

Os serviços de pagamentos também foram abordados pela ex-líder do FMI, nomeadamente as moedas estáveis (em inglês, stablecoins). As moedas estáveis são uma classe de criptomedas indexadas a um ativo, por exemplo, uma moeda, como dólar ou o euro, ou uma commodity, como o ouro.

“Este fenómeno pode disromper o atual ecossistema de pagamentos, com efeitos ao nível da transmissão da política monetária, estabilidade financeira e o sistema monetário internacional”, realçou Christine Lagarde.

A presidente do BCE referiu que a instituição a que preside não está quieta perante a inovação e pretende “antecipar e moldar tendências”. “Ser um catalisador da mudança significa identificar e gerir os riscos. Inovações – incluindo as stablecoins – só serão benéficas se foram os riscos associados forem mitigados através de regulação efetiva e supervisão”, vincou Christine Lagarde. “Por isso eu creio que devemos seguir a regra dourada da supervisão: o mesmo negócio, o mesmo risco, as mesmas regras”, disse.

Ler mais

Relacionadas

Lagarde anuncia revisão estratégica do BCE e admite ter todos os instrumentos para impulsionar a economia

“Emergiram novos desafios, como a demografia, a disrupção tecnológica e as alterações climáticas. O senso comum tem sido desafiado e a política monetária global tem explorado territórios desconhecidos”, referiu a presidente do Banco Central Europeu (BCE). “Isto obriga-nos a rever a nossa estratégia e a considerar como é que a nossa política monetária consegue cumprir, da melhor forma, com o nosso mandato” de estabilidade dos preços.
Recomendadas

Wall Street fecha em alta com acordo na guerra comercial

Os EUA irão retirar progressivamente as tarifas sobre as exportações chinesas e a China irá adquirir mais exportações americanas. A China confirmou o acordo com os EUA.

Preço do barril de Brent sobe 1,64% para 65,25 dólares

O preço do barril de petróleo Brent para entrega em fevereiro terminou hoje no mercado de futuros de Londres em alta de 1,64%, para os 65,25 dólares. O crude do mar do Norte, de referência na Europa, concluiu a sessão no International Exchange Futures a cotar 1,05 dólares acima dos 64,20 com que encerrou as […]

Bolsa de Lisboa sobe com BCP a valorizar quase 2%

A sessão foi marcada essencialmente por dois fatores. Por um lado a vitoria dos Conservadores nas eleições inglesas e o alegado acordo na fase 1 entre os EUA e a China. Por cá BCP, EDP e Galp lideram ganhos e NOS e Altri lideram perdas.
Comentários