Las Vegas: FBI dá apoio a autoridades locais para determinar motivo do tiroteio

Donald Trump não falou sobre a violência armada, enquanto Sarah Huckabee Sanders, secretária de imprensa da Casa Branca, disse que há “tempo e lugar para debate político, mas agora é o momento de unir o país”.

Em Las Vegas, a polícia está a investigar o motivo por trás do tiroteio mais mortal da história moderna dos Estados Unidos, depois de terem encontrado mais de 40 armas pertencentes a Stephen Paddock, o atirador de 64 anos. O FBI está a dar apoio às autoridades locais mas acredita que o americano agiu sozinho, rejeitando a hipótese deste ataque estar relacionado com órgãos terroristas internacionais.

Pelo menos 59 pessoas morreram e 527 ficaram feridas, na noite de domingo, quando um homem armado, identificado como Stephen Paddock, começou a disparar do 32º andar do ‘Mandalay Bay Hotel and Casino’ para uma multidão de 22 mil pessoas, que estavam num festival de música country. O homem matou-se de seguida. Stephen Paddock partiu duas janelas para abrir fogo durante o festival.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, descreveu o massacre como um “puro ato de maldade”. O tiroteio aconteceu 15 meses depois do ataque na discoteca ‘Pulse’ em Orlando, Flórida, que fez 49 mortos.

Trump não mencionou a violência armada, enquanto Sarah Huckabee Sanders, secretária de imprensa da Casa Branca, disse que há “tempo e lugar para debate político, mas agora é o momento de unir o país”, cita o Financial Times.

As autoridades norte-americanas encontraram 23 armas no quarto do hotel do atirador, e mais 19 em sua casa. A polícia também encontrou explosivos e vários milhares de munições na casa do suspeito, em Mesquite, uma cidade de Nevada, a cerca de uma hora de distância de onde ocorreu o tiroteio.

A polícia acredita que as armas foram levadas para o hotel em malas, em pelo menos 10 viagens. Os jornalistas confrontaram as autoridades dos EUA sobre como o arsenal passou despercebido até ao ataque, ao que o assistente de xerife Todd Fasulo respondeu: “Isso faz parte da nossa investigação”.

O xerife de Las Vegas, Joe Lombardo, disse que a polícia não tem evidências para apoiar uma reivindicação de responsabilidade por parte do auto proclamado Estado Islâmico.

Não há grandes perspetivas sobre o aumento do controlo de armas nos EUA, principalmente desde que os republicados controlam a Casa Branca e o Congresso opõe-se a qualquer movimento que possa “enfraquecer” a Segunda Emenda da Constituição, que dá aos americanos o direito de ter armas.

 

Ler mais
Relacionadas

Estado Islâmico reivindica ataque em Las Vegas

O Estado islâmico reivindicou a autoria do ataque de domingo à noite em Las Vegas, reclamando que o atacante se havia convertido ao islamismo “há poucos meses”.

Ataque em Las Vegas faz 58 mortos

Um homem de 64 anos disparou sobre a multidão que assistia a um festival nas imediações de um casino em Las Vegas, causando a morte a 20 pessoas e ferindo mais de 100. A polícia já abateu o responsável.

Las Vegas: Algoritmo da Google aponta para site que identifica de forma errada o atirador

Numa pesquisa no Google sobre o atirador de Las Vegas, surge o nome de Geray Danley no site 4chan, associado à alt-right e conhecido por colocar em circulação notícias falsas.
Recomendadas

Londres deixa de participar na maior parte das reuniões da União Europeia a 1 de setembro

“Muitas das discussões nestas reuniões com a UE têm a ver com a União depois da saída do Reino Unido. Libertar os representantes dessas reuniões permite que eles concentrem melhor os seus talentos nas prioridades nacionais imediatas”, afirmou Steve Barclay.

“O ideal era que todos saíssem vivos, mas preferimos salvar os reféns”, diz governador do Rio de Janeiro após sequestro

Wilson Witzel parabenizou o trabalho do BOPE e lamentou a morte do sequestrador. Aos jornalistas, o governador do Rio de Janeiro apelou para que “este tipo de atrocidade” não se volte a repetir e anunciou que a família do criminoso terá acompanhamento.

Nave espacial indiana chega à órbita lunar

A nave foi lançada a partir da base de descolagem Sriharikota, no sudeste indiano, a 22 de julho, uma semana depois da primeira tentativa de lançamento ter tido problemas técnicos e adiado.
Comentários