Lei ‘Uber’ foi “aprovada por 80% dos deputados”, recorda Uber Portugal

Uber Portugal reage ao protesto dos taxistas e esclarece que lei foi aprovada por 80% dos deputados. Para a Uber, a lei que regula a atividade de TVDE traz “estabilidade e segurança jurídica” aos motoristas e utilizadores da Uber.

A Uber Portugal reagiu, esta quarta-feira, ao protesto dos taxistas que exigem a suspensão da ‘lei da Uber’, que entra em vigor no próximo dia 1 de novembro. Em comunicado, a Uber Portugal faz saber que respeita “o direito que todos têm de se manifestar com respeito pela segurança e ordem pública”.

Face ao protesto coletivo dos profissionais dos táxis, a empresa diz “que a lei que regula a atividade de TVDE, aprovada por cerca de 80% dos deputados e promulgada pelo Presidente da República, está em vigor e traz estabilidade e segurança jurídica aos mais de 6.500 motoristas e aos milhares de utilizadores que todos os dias utlizam a Uber para viajar nas cidades portuguesas”.

Recorde-se que os taxistas voltaram hoje às ruas de Lisboa e do Porto para protestarem contra a entrada em vigor da lei que regula as plataformas eletrónicas de transporte privado de passageiros, que regula a atividade de empresas como a Uber ou a Cabify. Os taxistas querem que o Tribunal Constitucional se pronuncie sobre a constitucionalidade do diploma. Para tal, necessitam de apoio político dos deputados com assento na Assembleia da República que podem requerer a fiscalização sucessiva  do diploma.

Representantes de profissionais dos táxis tinham vários encontros marcados com os partidos políticos para o dia de hoje. Depois do encontro com o PS esta tarde, os socialistas informaram que não vão aceder às pretensões dos taxistas. O PCP vai pedir a revogação da lei por considerar que este setor está “ameaçado no seu futuro pelo poderio de uma multinacional que tem, de facto, um regime de privilégio relativamente à lei que está perspetivada” e, por isso, “esta não pode ser uma discussão encerrada”.

 

Relacionadas

Lei ‘Uber’: PCP vai propor revogação da lei

“Consideramos que já muito mal foi feito, mas ainda vamos a tempo de evitar o agravamento de problemas e a situação gravíssima que está em perspetiva para aquele setor”, anunciou o deputado Bruno Dias.

Lei ‘Uber’: PS não vai pedir fiscalização sucessiva da constitucionalidade

“É preciso primeiro perceber quais são as consequências que esta lei pode ter, de facto, no setor”, o que só poderá acontecer depois de ela entrar em vigor, explicou o deputado Carlos Pereira após uma reunião com representantes do setor do táxi.

“#somos táxis”: mais de uma centena de taxistas concentrados na Praça dos Restauradores

Desde 2015, este é o quarto grande protesto contra as plataformas que agregam motoristas em carros descaracterizados, cuja regulamentação foi aprovada, depois de muita discussão, no parlamento, em 12 de julho.
Recomendadas

Leia aqui o Jornal Económico desta semana

Leia todas as edições do Jornal Económico, na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o Jornal Económico. Apoie o jornalismo independente.

PremiumEndesa de olho nas barragens da EDP

Nuno Ribeiro da Silva está atento aos ativos que a EDP vier a colocar à venda no mercado, incluindo as barragens, eólicas e redes de distribuição. O líder da Endesa critica o modelo da tarifa social em vigor.

PremiumPatrick Monteiro de Barros: “Berardo foi financiado pela estratégia de domínio do BCP de Sócrates”

Empresário e ex-acionista do Grupo Espírito Santo diz que “Joe Berardo foi financiado para adquirir ações do BCP e fazer parte de um núcleo que iria dominar o banco na linha imposta pelo primeiro-ministro de então”.
Comentários